Måned: februar 2007

Oração da Família (Padre Zezinho, SCJ)

Oração da Família (Padre Zezinho, SCJ)

Rating: ★★★★★
Category: Other

Oração da Família
(Pe.Zezinho,SCJ)

Que nenhuma família comece em qualquer de repente.
Que nenhuma família termine por falta de amor.
Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente.
E que nada no mundo separe um casal sonhador.

Que nenhuma família se abrigue debaixo da ponte.
Que ninguém interfira no lar e na vida dos dois.
Que ninguém os obrigue a viver sem nenhum horizonte.
Que eles vivam do ontem, no hoje em função de um depois.

Que a família comece e termine sabendo onde vai.
E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai.
Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor.
E que os filhos conheçam a força de onde brota o amor.

Que marido e mulher tenham força de amar sem medida.
Que ninguém vá dormir sem pedir ou dar seu perdão.
Que as crianças aprendam no colo o sentido da vida.
Que a família celebre a partilha do abraço e do pão.

Que marido e mulher não se traiam nem traiam seus filhos.
Que o ciúme não mate a certeza do AMOR entre os dois.
Que no seu firmamento a estrela que tem maior brilho.
Seja a firme esperança de um céu aqui mesmo e depois.

*Amei esta oração em forma de poema, linda!

Antes tarde do que nunca

Antes tarde do que nunca

Depois de muita enrolação de minha parte, acordei e percebi que não dá mais para adiar. Cheguei numa idade em que fazer exercícios não é somente uma questão estética, e sim, de saúde. Como o Morten tem que exercitar o ombro para tratar seu problema no braço, resolvi começar junto com ele, na última segunda-feira. É ótimo ter companhia, pois um anima o outro e o tempo passa bem mais rápido. Para uma primeira vez até que não fui mal, embora tenha feito um programa bem leve, que pretendo acelerar à medida que for me acostumando. Estou bem enferrujada nos braços e no abdômem, mas as pernas até que estão em forma, graças às caminhadas diárias em Sampa com meu pai e as freqüentes caminhadas que nós dois fazemos aqui nas redondezas. Hoje eu volto à academia e quero ir  três vezes por semana. O bom é que nós temos um cartão que nos permite treinar de domingo à domingo, entre 7 da manhã e 11 da noite. Então, falta de tempo não será desculpa.

Hoje é dia dos últimos preparativos antes da viagem. Vou passar as roupas, fazer as malas e deixar a casa em ordem. Amanhã Morten terá o dia livre,então resolvemos fazer um bolo (de Tiramisú) para levar e servir na casa dos pais dele depois do jantar. Não sei se ainda volto para escrever mais um pouquinho, então desejo a vocês um bom final-de-semana e agradeço muito mesmo as mensagens de felicitações. Até a próxima!  

Brasil 10 x 0 Noruega

Brasil 10 x 0 Noruega

Não, não é resultado de futebol, até por que o Brasil ainda (?!) não conseguiu vencer a Noruega no esporte de Charles Miller. O placar em questão refere-se à qualidade do atendimento ao cliente no Brasil e na Noruega. Sexta-feira passada, Morten e eu fomos juntos à academia. Iríamos fazer a inscrição e já começar a treinar. Digo iríamos por que não deu certo. Chegamos no local e a recepção estava vazia. Esperamos 5, 10 minutos e ninguém. Não havia nem sininho para chamar o funcionário, nada. Impacientes, também descobrimos que não havia maquininha de pagamento por débito (pois é, estava tão vazio que pudemos vasculhar o balcão de atendimento), então tivemos que sair para retirar dinheiro do caixa eletrônico. Ao sair, lemos na porta que a recepção somente abre de segunda à quinta. Fiquei indignada. Em seguida chegou uma turma para fazer aeróbica e Morten perguntou se haveria alguém para nos atender. Uma mulher (talvez a professora)  disse que  poderia fazer a nossa inscrição e que iria esperar até que voltássemos com o dinheiro. Para completar, o caixa eletrônico engoliu o cartão magnético, pois teimou em dizer que a senha não estava correta (mas estava). Resultado: não começamos na academia e ficamos sem cartão. Não havia mais o que fazer a não ser voltar para casa, com a disposição para malhar dentro  de nossas mochilas. Nós dois debatemos sobre este incidente e Morten me explicou que pagar uma pessoa para ficar na recepção custa caríssimo e por isso eles reduzem o tempo de trabalho ao máximo. Disse-lhe que no Brasil, pelo menos em São Paulo as academias sempre têm uma pessoa a postos, que explica tudo e mostra o local, sempre simpática. Tudo bem, é para vender, mas pelo menos a gente tem atendimento. Aqui, estou ficando meio desapontada. Segunda-feira passada a funcionária do museu onde trabalho esqueceu de avisar-nos que haveria uma reunião no cinema logo de manhã. Como assim, esqueceu? Não fazia nem 1 mês que ela havia cometido a mesma falha, esquencendo de nos avisar antes e, quando o povo estava chegando, tive que correr com a limpeza do cinema. Ainda acredito que haja funcionários e empresas com atendimento competente por aqui, mas por enquanto, só decepção.
Como já dizia Jesse, personagem de Ethan Hawke no divino «Antes do Amanhecer»:
«The people in Europe aren’t service-oriented.»


Boa semana e até a próxima!

Furacão Elis

Furacão Elis

Rating: ★★★★★
Category: Books
Genre: Biographies & Memoirs
Author: Regina Echeverria

Graças à dica de sites de e-books da Nara (valeu mesmo!), baixei este livro sobre a Elis Regina que eu já queria ler há tempos. Li inteirinho em uma hora. Emocionante e triste. Se você é fã, é leitura obrigatória.

Do conto de fadas às manchetes chocantes

Do conto de fadas às manchetes chocantes

Hoje queria falar de saudade. Não aquela saudade melancólica, deprimente, que dá vontade de voltar pro Brasil, não é essa. Estou falando da saudade boa, talvez nostalgia seja a palavra correta. Dos tempos de infância, dos dias rotineiros e então banais, mas que hoje ocupam um significativo espaço na memória. Na útlima semana, passei um dia inteiro ouvindo a rádio Nova Brasil FM, e a casa se encheu de brasilidade, enquanto lá fora o tempo estava rabugento como ele só. Como a saudade boa apertou ao ouvir: “Marmelada de banana, bananada de marmelo, o sol nascente é tão belooooo…Sítio do Picapau Amarelo…”. Arrepios. Não resisti e contei pro meu noivo sobre o programa que eu acompanhei de pequena, onde um “sabugo de milho é gente”.

É, cheguei à conclusão de que agora, longe, estou mais ligada ao Brasil do que nunca. Não, não quero voltar. Estou vivendo a fase mais feliz da minha vida e meus sonhos finalmente estão se concretizando. Me caso semana que vem e hoje tenho a maturidade que faltou nos meus vinte e poucos anos.  Sei bem o que quero. Mas, ando com uma vontade incontrolável de ler livros de literatura, os Machados de Assis da vida que os vestibulandos odeiam. Apesar de que no momento, estou na página 52 (de 600) de “O Código Da Vinci” em inglês. Professora de inglês, sabe como é, preciso praticar para não enferrujar o idioma. Leio diariamente a Folha de São Paulo e estou sabendo de todas as manchetes. Do garotinho João Hélio, por exemplo. Não é por que estou longe que eu não me comovo com coisas assim. A pergunta que martela na cabeça é o que eu individualmente  poderia fazer aqui para que isso parasse. Por enquanto, só me resta rezar.


 


Surpresa

Terça-feira fui à uma reunião com minhas colegas e minha chefe e para minha surpresa, elas me deram um presente de casamento. Minha chefe e uma colega cantaram uma música em groenlandês (elas são norueguesas, mas moraram muitos anos na Groenlândia). Fiquei emocionada, com direito a discurso e choro.


 


Acabou o mistério dos fardos de madeira


 


Os vizinhos carregaram toda a madeira para si. Não sabemos se era deles ou se eles foram mais espertos, mas de qualquer maneira, a estrada em frente de casa está desobstruída.


 


Quem é Rei nunca perde a majestade


 


Quarta-feira o Rei da Noruega, Harald, completou 70 anos e a maioria absoluta do povo comemorou nas ruas, embaixo de um frio congelante. A televisão transmitiu a festa e documentários e entrevistas sobre o monarca foram exibidos durante o dia. Apesar de toda a pompa, a família real norueguesa é muito simples e nada arrogante. Eu os admiro, embora muitos noruegueses achem uma bobagem o dinheiro de seus impostos sustentarem uma família que não tem poder nenhum. Mas, acho que Noruega sem Rei e Rainha não é Noruega.


 


E o dia está chegando


 


Hoje falta uma semana e estamos com tudo pronto. Agora é só  preparar o coração. Até a próxima!


 



Cartões de mesa



Mini-boletim

Mini-boletim


 

Olá!

Hoje é dia 20 de fevereiro. Faz exatamente 4 meses que eu cheguei na Noruega, amanhã eu e meu amor completaremos 2 anos e 11 meses de namoro e faltam 10 dias para o dia mais feliz da minha vida. Nesses dias que andei sumida, estive na correria com várias coisinhas, entre elas:

Confecção dos convites do casamento:


Que ficaram assim:



 


 


 


 


 


 


 


E envelopadinhos ficaram assim (a gente fez os envelopes também):


 


 


 


 


 


 


 


 


Agora estamos fazendo os cartõezinhos de mesa, que terão os nomes dos convidados. Quando ficarem prontos, vou tirar uma foto e postar aqui.


Após um susto com o preço das flores, conseguimos encontrar uma solução bem simples e baratinha para meu buquê, a lapela do Morten e a mesa de jantar. Para quem está planejando se casar na Noruega, aqui vai um conselho: case na primavera ou verão, assim não terão problemas com flores.

Propaganda da Noruega

O vídeo que eu fiz com as fotos que tiramos no passeio a Titran rendeu muitos elogios, inclusive dos meus sogros. Mal posso esperar para poder fazer o próximo, que definitivamente será do casamento.

No meio do caminho tinha…

Duas semanas atrás um caminhão simplesmente parou na frente de casa e descarregou dois fardos enormes de madeira para lareira na rua. Achamos que era de alguém da vizinhança que viria apanhá-los depois, mas até hoje nada. Estamos pensando se deveríamos usar a madeira (e correr o risco de recebermos a visita do verdadeiro dono reclamando sua propriedade) ou deixá-la ali até que alguém se manifeste.

Recomeçou a vida de Marinete

Depois de um janeiro bem fraco no trabalho, andei fazendo muita limpeza nestas últimas semanas. Quinta-feira passada foram quase 6 horas e ontem 7. Deus queira que continue assim!

Finalmente Noruega

Pois é, somente agora posso dizer que estou na Noruega. Por que? Semana passada comi bacalhau fresquinho, pescado pelo Morten durante um passeio de barco com o tio. Estava delicioso! Aqui está a prova:



Ah, e durante um passeio pelas redondezas, achei os peixes que um felizardo pescou e colocou para secar (o mesmo processo do bacalhau comprado no Brasil):



 

 

A concorrência é grande

 

Eu adoro cozinhar, mas reconheço que ainda não sei muito e aqui tenho perdido feio para meu noivo no quesito culinária. Ele fez um pão-doce chamado «Kringle» quando os pais vieram nos visitar, e semana passada ele fez outro pãozinho chamado «Kanel Boller». Pra não dizer que eu não fiz nada, fiz um bolo de chocolate no aniversário dele. Ainda bem que ficou bom, por que a coisa aqui não está fácil, não, hehe! Ainda bem que esta semana vou começar a ir à academia.

 

Por enquanto é isso. Quando houver mais novidades, eu volto. Uma boa semana e até a próxima!

O forte e o fraco

O forte e o fraco

Texto lido no programa «Momento de Fé» pelo Padre Marcelo Rossi hoje.


 


O FORTE E O FRACO


O forte agradece, o fraco reclama.

O forte avança, o fraco retrocede.

O forte luta, o fraco foge.

O forte trabalha, o fraco cruza os braços.

O forte crê, o fraco duvida.

O forte ama, o fraco odeia.

O forte persevera, o fraco desiste.

Na vida os verdadeiramente fortes são aqueles fortalecidos por Deus.


São aqueles que, mesmo diante dos grandes desafios da existência, encontram forças para continuar enxergando a plenitude da vida.

Passeio por Titran

Passeio por Titran

Domingão de sol em pleno inverno, 2 graus negativos. Fomos até Titran, a 30 minutos de casa. Aprendi a usar o «Windows Movie Maker» e fiz um clipe do nosso passeio.

Fisketur 10.02.2007

Fisketur 10.02.2007

Sábadão, nevava sem parar, nada pra fazer dentro de casa e meu amor sugeriu irmos pescar na plataforma que tem descendo a rua de casa. Não tivemos sorte com peixes, mas o Morten fisgou um belíssimo…sapato velho, hahaha!