Måned: april 2007

Skårøya

Skårøya


Cais que fica numa parte de Hitra chamada de Kvenvær, de onde pegamos o barco para Skårøya

Esta é a ilha aonde eu tenho que ir toda a sexta-feira para fazer limpeza. É uma aventura. Uma hora de carro de casa, mais 15 minutos de barco. Um passeio bem gostoso, nem parece trabalho

Mais um dia de labuta

Mais um dia de labuta

Na segunda parte desse post, vou falar do meu dia de trabalho ontem. Foi no museu que eu limpo todas as segundas-feiras. Aliás, nunca contei detalhadamente sobre este trabalho. Chego lá com minha chefe ou com minha colega por volta das 7 da manhã, limpamos os escritórios no andar de cima, os toaletes, a cozinha e as escadas. Depois, descemos à recepção e uma de nós limpa o chão, enquanto a outra passa aspirador de pó na sala de cinema, carpete e poltronas, uma por uma. Quem acaba primeiro limpa os toaletes, mas quase sempre fazemos isso juntas. Acabamos o serviço todo por volta das 10 da manhã, hora em que o museu abre ao público.


 


Mas, ontem não foi esta limpeza. Fomos encerar o chão, pois a cera anterior estava desgastada. Começamos às 9:30 da manhã. Primeiro, tivemos que remover a cera antiga, e este é o trabalho propriamente dito, pois aplicar a cera nova é facílimo. Passamos um produto misturado com água, usamos uma enceradeira com uma espécie de escova áspera para tirar a cera, mais água e depois aspiramos a água com um aspirador gigantesco. Quando víamos que a cera não saía totalmente, tínhamos que repetir tudo. E a recepção do museu é bem grande. Resultado, eram 16 hs e ainda não havíamos acabado. Minha chefe me perguntou se meu marido poderia vir buscar a mim e a minha colega, pois ela teria que ficar até mais tarde para passar as três camadas de cera nova, e isso era trabalho para uma pessoa só. Ele veio, dirigindo o carro alugado oferecido pela companhia de seguros, pois ainda estamos sem carro e ele devolveu o carro da firma. O problema é que, bem no final, na entrada para cadeirantes, o removedor de cera não removeu nada e ainda secou. Lá fomos nós refazer todo o processo. Até o Morten entrou na brincadeira, nos ajudou a esfregar o chão até tirar tudo. Saímos de lá às 18 hs. Eu estava quebrada. O bom de tudo isso é que recebemos mais por hora para polir o chão, então o dia valeu, apesar da trabalheira toda.


 


Ainda sobre o trabalho de ontem, fiquei muito irritada com pessoas que não sabem ler avisos na porta. Havia um aviso em letras garrafais dizendo que o museu estava FECHADO por motivo de manutenção, mas teve gente que entrou! Uma senhora foi buscar um cachecol esquecido no final-de-semana (justamente no dia de encerar), um homem entrou e começou a falar coisas sem nexo com a minha chefe e saiu (este eu até perdôo, acho que ele tinha problemas mentais). Quando minha chefe foi buscar um lanche pra nós, vieram dois homens. Tentamos explicar que o museu estava fechado e eles insistiram que tinham compromisso marcado com gente do museu. Resultado, tiveram que subir para o escritório e pisaram no chão recém-encerado. Isto por que tem uma entrada nos fundos que dá direto nos escritórios…De tarde houve ensaio da fanfarra e muita garotada insistia em querer abrir a porta para entrar pela frente. Havia outro aviso gigante dizendo para o povo da fanfarra entrar pela lateral. De noite, comentando isso com o Morten, chegamos à conclusão de que o norueguês, por ser bem tolerante, cabeça fria, também espera que sejamos o mesmo com eles. Daí o porque eles acharem que não tem nada de mais entrar com o sapato sujo de terra na cera novinha.


Hoje estou de folga, só às 18 hs terá reunião da firma na casa de uma colega. Amanhã tem mais pela frente, sábado e domingo também! Mas, sempre que der eu volto para dar notícias. Hoje vou ver se estudo norueguês, empaquei no Klar For Norge 2 lição 1, mas quero prosseguir. Ah, minha colega de trabalho russa, que também veio com visto de noiva, me disse que o segundo visto não demorou mais que um mês para ela. Tomara que eu tenha a mesma sorte. Até mais!

A grana não fala mais alto, grita mesmo

A grana não fala mais alto, grita mesmo

A mais ou menos 50 metros de casa, um pulinho só, tem um mercadinho da rede Coop. Esta rede tem várias categorias de mercado, dependendo do tamanho da loja, dos preços e da variedade de artigos. Se eu me lembro de todos, têm o Coop Marked, Coop Prix, Coop Mega, Coop Obs!, Coop Elektro, Bygg Mix. Os dois últimos vendem apenas eletrodomésticos e eletroeletrônicos e  material de construção, respectivamente. O mercado aqui na porta de casa é o Marked, o mais simples. Eles têm o básico para o dia a dia e ainda possuem uma agência dos correios! Para pessoas como eu, que não tem carro próprio quando o marido está trabalhando, este mercado é a salvação, pois sempre que preciso de alguma coisinha que acabou de repente, corro para lá. Mas, infelizmente, este mercadinho vai fechar em alguns dias. Segundo os diretores, devido à baixa lucratividade e porque ele é muito próximo à Sistranda, onde há vários mercados, inclusive mais dois da rede Mega. Este último motivo até que faz sentido, mas, por que tirar algo que é tão útil para algumas pessoas? O mercadinho não é somente um ponto de venda, é também um ponto de encontro, onde nós lemos sobre o que vai acontecer aqui nas redondezas, as crianças se encontram para bater bola. Lembro de um senhor paraplégico, cuja casa fomos limpar, que comentou que nunca ia aos mercados de Sistranda, que preferia dirigir até este Coop, tocava a buzina, vinha a atendente, e de dentro do carro mesmo, entregava-lhe a lista de compras, ela trazia as compras e ele pagava. Será que os Megas, Hiper, Super da vida oferecem esta gentileza?


 


Terça-feira eu estive lá e fiquei triste ao ver como o mercado está. Quase mais nada nas prateleiras, pois não está mais havendo reposição, não achei quase nada que eu queria ter comprado. Estão liquidando muitas coisas, comprei duas pizzas congeladas por 10 Kroners cada, o preço normal é quase 30. Trouxe somente duas, pois quis deixar mais para os outros clientes também. Aliás, o que é o egoísmo desse povo (geral, não somente noruegueses)? Uma vez eu e meu amor estivemos no Bunnpris em Sistranda, e tinha uma oferta de carne moída. Carne de boi aqui é tão cara que só temos acesso à moída, hehe. Bem, procuramos na prateleira e ela estava vazia. Perguntamos a uma funcionária e ela disse que havia se esgotado. Paciência…Ao passarmos no caixa, não pude deixar de perceber que a senhora à nossa frente estava empacotando pelo menos 7 embalagens da tal carne moída! Sete! Ou seja, ela limpou a prateleira, não quis deixar pra mais ninguém. Ai, ai, ai…acho que eu sou muito ingênua ou trouxa mesmo, hehe.


 


Conta pela metade


 


Há quase um mês, no mesmo dia em que dei entrada no meu visto, fomos ao banco abrir uma conta para mim. Assim, posso receber meu salário na minha própria conta, posso comprar coisas quando estiver sozinha, é bem mais prático. Disseram-me que meu cartão chegaria em 10 dias úteis. Diante de tanta demora, meu marido ligou para reclamar. Não acreditamos no que eles nos responderam. Eles trocaram de fabricantes de cartões magnéticos, e na brincadeira, perderam meu formulário e minha foto! Agora, terei que preencher mais um formulário e mandar mais uma foto. Detalhe: tenho só uma foto 3×4 que trouxe do Brasil, e quando meu visto sair, terei que tirar fotos novas, que aqui são muito caras. Mas, o pior de tudo é que minha conta está ativa, recebi meu salário lá, eles já descontaram o dinheiro para pagar a emissão do cartão, mas nada de cartão. Ou seja, não tenho cartão para sacar o dinheiro. O jeito será ir pessoalmente, mostrar meu passaporte, preencher uma guia e retirar o valor. Quero só ver quando meu cartão vai chegar.


 


(Continua no próximo post)


 

Balanço do feriado

Balanço do feriado


Olá a todos, espero que tenham tido um excelente feriado de Páscoa! Sorte de quem está no Brasil e pôde se deliciar com os ovos de chocolate. Nós aqui nos contentamos com “godteri” e “konfekt”, ou seja, guloseimas e bombons. Os dias em que ficamos em casa depois de voltarmos de Klæbu renderam. Quase não saímos de casa, vimos muitos filmes, olha a lista:

– Tróia (tinha visto a metade no Brasil e dormi no final do filme, desta vez consegui assistir ao filme todo, recomendo!)
– 21 grams (muito parecido com “Crash”, interessante, mas é aquele tipo de filme que se vê só uma vez, um tema muito pesado e triste)
– Meet the parents (não lembro o título em português, mas é com o Ben Stiller e Robert de Niro. Este eu já tinha visto, mas meu marido não, então vimos juntos, uma comédia bem família)
– Orions Belte (filme norueguês dos anos 70, fala sobre a Guerra Fria e a presença de russos na ilha metade norueguesa, metade russa de “Svalbard”. Um filme bem feito, muita ação)
– Kamilla of Tyven II (um dia depois, eles exibiram a sequência do filme onde o Morten Harket aparece. Neste segundo filme, ele aparece muito mais, adorei, um filme para crianças, engraçado e bem norueguês)
– O último filme da lista foi muito doloroso de assistir. “A Paixão de Cristo”, que deu o que falar há alguns anos, quando foi lançado. Muito violento e cruel, verdade, mas eu não me arrependi, embora tenha chorado o filme inteiro. Eu não tinha consciência do que foi a paixão até ver este filme. Mudou minha vida.

Visita

Meu cunhado e sua samboer nos visitaram sexta-feira. Aqui são chamados de “samboer”, (sam=samme=junto + boer=morador) os namorados que moram juntos. A família dela tem uma casa em Hitra, a ilha vizinha e ainda não conhecia nossa casa. Foi uma tarde bem divertida, conversamos, vimos as fotos do casamento e assistimos ao “Kamilla og Tyven II”. Fizemos ‘waffles’, que em São Paulo chamamos de ‘favo holandês’.

Será que o problema sou eu?

Semana passada, li um artigo no jornal VG que mostrava uma garota de 17 anos indo às compras. A menina gastou horrores, milhares de kroners em uma simples bolsa de marca e muitas outras “peruagens”. O pior de tudo: a mãe junto, passando o cartão do banco e pagando tudo, toda sorridente. Mas, tinha algo pior: no mesmo artigo, um ‘especialista’ em adolescentes dizia que os pais NÃO devem negar roupas e artigos de marca aos seus filhos, pois, isto pode prejudicar a formação de sua personalidade e sua aceitação na sociedade. Não concordo!!! Claro, é natural os pais quererem agradar aos filhos, mas tudo tem limites. Não é à toa que ouço falar que a criançada daqui está cada vez mais mal-educada, e os adolescentes fazem o que querem, bebem, usam drogas e tudo o mais. Tudo para eles é sempre tão fácil, que eles não sabem até onde vai o limite de suas atitudes. Ainda bem que sempre há exceções. É cada uma que eu vejo, que dá vontade de citar uma frase de uma amiga minha: “Pare o mundo que eu quero descer!”

Ampliando o contato

Vou deixar aqui o meu MSN, caso alguém queira conversar mais sobre o dia-a-dia, treinar norueguês e também ‘tirar o mofo’ do português.

rachelhirsch@hotmail.com

Ah, e meu nome no Orkut é Raquel V. Não estou em muitas comunidades, pois prefiro ler mais do que escrever. As coisas lá não são tão democráticas quanto aqui, na minha opinião.

O maior presente da Páscoa

Finalmente conseguimos terminar a reforma do hall de entrada! Meu amor fez a maior parte do trabalho, muito bem-feito. Eu ajudei com a pintura das paredes e de algumas peças de decoração. Veja aqui o antes e o depois:

Antes



Piso antigo, paredes amarelo-banana, cabide de roupas improvisado e um espelho muito esquisito na parede (não aparece na foto)


Depois:



Paredes cor areia, piso novo, um cabide de verdade, branco, fotos. Só faltam as persianas na janela.


Novas placas no teto, lustre moderno e espelho novo.


Estamos muito satisfeitos com o resultado. Pela primeira vez, consegui participar de uma reforma sem ter que chamar pedreiro ou pintor. É incrível o que se pode fazer sozinho, sem muita habilidade. Agora, o próximo passo é terminar o quarto e partir para o segundo hall, onde fica a escada para o andar de cima.


Uma boa semana e até a próxima!
  

De volta ao lar

De volta ao lar


Hoje voltamos para Frøya e no caminho, um tempo maluco. Em três horas, passamos por tempestades de neve, chuva, granizo, sol e aqui na ilha, nevou, choveu granizo e agora, por enquanto, só sol. Costumava pensar que somente em São Paulo havia o fenômeno das quatro estações em um só dia, mas parece que não é só lá.

Mais um prato típico para a lista de favoritos

Ontem, em visita aos avós do Morten, experimentei mais um prato típico norueguês, chamado “Fårikål”. Trata-se de carne de carneiro cozida com repolho acompanhada de batatas cozidas:


Uma delícia. Quando soube que era carne cozida, fiquei um pouco cética, pois não sou muito chegada a carne cozida, mas que bobagem, estava delicioso. Para acompanhar, flatbrød (eles chamam isso de pão, mas mais parece uma bolacha água e sal bem fininha e crocante) e para beber cerveja (preferi refrigerante) e um golinho de “Akevitt” (Água da vida). Akevitt é o aguardente norueguês, feito à partir de batatas, temperos e álcool.

Ficamos lá quase o dia inteiro, foi muito agradável, e eu fiquei contente por que consegui conversar com eles e entendi tudo. Lembro que na primeira vez que estive lá, em outubro, entrei muda e saí calada, pois não entendi nada.´

Morten Harket na quinta-feira Santa

Pouco após chegar em casa hoje, liguei a TV na TV2 e estava começando um filme. Quando os créditos apareceram, pulei do sofá. O filme era nada mais nada menos do que “Kamilla og Tyven”, o célebre filme de 1988 onde Morten Harket e seu irmão Kjetil fazem pontas! Lembro que entre os fãs-clubes do a-ha (eu tive um fã-clube, aliás) este filme era a raridade das raridades, nunca consegui uma cópia, e uma vez me emprestaram uma que estava muito ruim. Hoje, sem esperar, acabei matando a vontade de ver o Morten atuando, quase 20 anos atrás. É aquela velha história, tem coisas das quais você não precisa ir atrás, elas vêm atrás de você.

O Dedé voltou

Ontem deu no jornal da TV que o jogador brasileiro desertor Dedé desembarcou na Noruega, após sumir desde a folga que ganhou nas festas de final de ano. Foram buscá-lo no Brasil e o empresário disse que ele não voltara por que seus pais tinham sido internados em hospital público e tiveram que fazer cirurgias. Realmente, foi um motivo trágico e nobre, mas será que ninguém avisou ao Dedé que em 1876, Graham Bell inventou um aparelho chamado telefone? Sem falar em celular, email, fax, carta…


Amanhã é sexta-feira Santa e eu pretendo seguir o costume de casa, não comer carne vermelha. Aqui eles não têm esta tradição, mas eu não me sentiria bem, após 30 anos escutando que é proibido comer carne na sexta-feira em que Cristo morreu crucificado. Ainda bem que há muitas opções. Não vai ser bacalhau, por incrível que pareça, hehe. Vamos continuar com as pequenas reformas e assistir filmes. Qualquer novidade, eu volto, senão volto só semana que vem. Boa Páscoa! 
  

Direto de Klæbu

Direto de Klæbu

Desculpem a falta de acentuacao, mas estou escrevendo da casa dos meus sogros em Klæbu. Lembram que eu havia escrito que meu marido teria que pegar onibus para voltar para casa e andar por mais uma hora ate chegar em casa ontem? Qual nao foi a minha surpresa quando ele me ligou e disse que o chefe havia emprestado-lhe o carro da firma ate semana que vem! Quanta gentileza, jamais esperavamos tanta generosidade. Assim sendo, pudemos viajar para ca, embora nao iremos mesmo ate o chale em Selbu. Hoje foi um dia bem produtivo, pois logo ao entrar em Trondheim fomos a uma area chamada Sandmoen nos livrar de um monte de lixo. Felizmente aqui o povo nao joga sofa, colchao, privada velhos em terreno baldio ou em rio, nao. Eles levam tudo a esse lixoes super organizados, onde ha um conteiner para cada tipo de lixo e voce separa tudo. Se nao quiser separar, passa em uma balanca, eles pesam seu carro com o lixo dentro, e voce joga tudo num lugar so. Depois, na volta, eles pesam seu carro novamente, calculam a diferenca de peso, e voce paga um valor pelos quilos de lixo que jogou fora. Fizemos isso com algumas coisas e nao foi caro, pelo menos ficamos com a consciencia tranquila de que nao poluimos o ambiente.

De la seguimos para a loja que tinha o piso que tinhamos reservado. Ele era exatamente o que queriamos. Depois fomos na loja de artigos de segunda mao Fretex, que e administrada pelo Exercito da Salvacao. Compramos duas mesas que transformaremos em uma so para ficar no canto da sala. Uma verdadeira pechincha! E, para encerrar o dia com chave de ouro, fomos ate a Ikea. Ainda bem que nao tem Ikea perto de casa, senao gastariamos os tubos com tanta coisinha linda que tem por la. Ate que enfim eles tinham em estoque as portas de correr de guarda-roupa que estavamos esperando ha meses.

Amanha iremos visitar os avos do Morten que moram aqui perto e acho que ficaremos por aqui, vendo DVDs ou passeando a pe pela regiao. Nem pensar em voltar a Trondheim, ja esgotamos nossa cota de consumo por um longo tempo! Nao sei se ficaremos mais um dia ou se voltaremos na quinta, pois estamos loucos para chegar em casa e colocar o piso, o espelho, a mesa, os enfeites, etc.,etc.,etc.

Ate a proxima!

Nem tudo está perdido

Nem tudo está perdido

Segunda-feira, acabei de voltar do trabalho no museu. Minha chefe, muito gente fina, ao saber do acidente, ofereceu carona para meu marido até o trabalho dele. Ela primeiro nos deixou no museu, seguiu para o jornal, depois voltou para limpar junto comigo e a outra colega. O ruim é que, por causa da raridade de ônibus aqui, meu amor só poderá pegar um ônibus para voltar às 18:15. Chegará ao ponto final uma hora depois, e ainda terá que caminhar mais uma hora até nossa casa! Não me conformo com a exclusão daqueles que não tem carro. Acho que os noruegueses têm pelo menos dois carros reserva, pois se o carro quebra, podem contar com carros extras para sair.

Por causa do acontecido, não iremos mais à Selbu passar a semana sa Páscoa com meus sogros. Lá se vai mais uma oportunidade de eu aprender a esquiar. Mas, sem problemas. Não queremos ficar em casa a semana toda, então resolvemos ir até Klæbu e passear por Trondheim alguns dias, para espairecer.  Se o tempo estiver bom, vamos de barco! Mas, se estiver chuvoso, vamos de ônibus, e quem sabe pegar o barco na volta. Temos que ir até Trondheim também para buscar o piso do hall de entrada, que está reservado. Tentamos comprar aqui na ilha, mas ficamos sabendo que o piso saiu de linha. Mas, Morten procurou e encontrou uma sobra em uma loja de Trondheim. Então, se perdermos este piso, será difícil achar em outro lugar.

Tomara que a gente possa descansar e se divertir um pouquinho nesta semana, pois merecemos. Felizmente estamos bem, sem nenhum choque tardio e nenhum sinal de dor, nada, mas queremos esquecer o mais rápido possível. A viagem deve ajudar.

Uma excelente semana de Páscoa a todos!

A vida é bela

A vida é bela

Ei, você…já agradeceu a Deus hoje por estar vivo mais um dia? Já olhou pela janela e, ao ver a beleza da natureza, sentiu-se feliz por poder estar vivenciando aquilo tudo?

Se não o fez, faça.

Ontem, após escrever aqui no blog, eu e meu marido fomos ao centro comercial da ilha, 10 minutos de carro daqui. Seria mais um sábado de sol sem muito pra fazer a não ser comprar algumas coisinhas para encher a geladeira e os ingredientes para a pizza de sábado à noite.

Na volta, mais ou menos a 5 minutos de casa, aconteceu. Após desviar de uma garota que fazia caminhada e voltar para a faixa, o carro saiu um pouquinho, centímetros do asfalto e encontrou lama escorregadia.  De repente, as duas rodas da direita e saíram da estrada e estávamos rodando em um carro totalmente inclinado para a direita.

Então, vimos uma rocha na beira da estrada. Nos centésimos de segundo que antecederam a batida, pensei: “Esta rocha vai atingir minha perna”.

Batemos.

Silêncio. Perguntamos um ao outro se estava tudo bem e, GRAÇAS A DEUS, nenhum arranhão. Nada. Só choque e choro. Saímos do carro inclinado sem problemas. Estávamos de pé, caminhando, conversando!

A garota que fazia caminhada voltou, assustada e perguntou se estávamos bem. Motoristas que passavam pararam e perguntaram se estava tudo bem, se ofereceram para chamar resgate, ambulância. Quanta solidariedade!

Se houve alguma perda, foi somente o carro, totalmente destroçado do lado direito. Mas, é para essas horas que existe seguro. Ah, e quatro dos doze ovos recém comprados no mercado.

Estou aqui, escrevendo sobre o acidente em minha casa, domingo nublado. Meu amor lê o jornal na sala. Estamos vivos! Poderíamos estar numa cama de hospital a esta hora. Meu Deus, como o Senhor é bom.

Valorize cada segundo do seu dia.

O feriado de Páscoa pode ter ficado comprometido, mas isto não é nada perto do presente que ganhamos ontem.

Bom domingo de ramos!