Måned: desember 2007

Semana do Natal

Semana do Natal

Meu primeiro Natal na Noruega ano passado não foi branco. O segundo também não. Nem sinal de neve. Mas gelo, ah, tinha de sobra. O pouco de neve que eu encontrei foi no caminho para a casa dos meus sogros:

 

 

As comemorações de Natal já começam dia 23, com o ritual do risgrøt (o arroz doce brasileiro, só que servido quente). Quem encontrar a amêndoa no prato ganha um porquinho de marzipã. O sortudo foi meu marido:


 

 

Dia 24, véspera de Natal, fomos à igreja e jantamos às 17 hs. Foi um jantar natalino tradicional norueguês:

Ribbe (lombo de porco) – não é meu favorito, mas comi um pouquinho
Kotelett (costela de boi) – adorei, carne de boi aqui é uma vez por ano 😉
Medisterkaker (almôndegas) – adorei
Sossiser (míni-salsichas, ou salsichinhas, como sugeriu meu marido) – adorei
Rødkål (repolho roxo cozido) – bom, mas, o…
Surkål (o chucrute alemão, repolho azedo) – é muito mais gostoso que o roxo

Batatas cozidas

Cenourinhas, brócolis e couves-de-bruxelas cozidas

 

De sobremesa, moltekrem – mirtilos batidos com chantilly – irresistível

 

Por volta das 20 hs começamos a trocar os presentes. O meu maior presente foi este:



 


Estou esperando a neve chegar aqui em Frøya para ir esquiar. Mas pelo jeito, vou ter que ir esquiar em outras bandas. Aqui só chove e venta!

 

Dia 25 foi dia de peru. Eu temperei e minha sogra assou. Foi um sucesso! Entre tanta comilança posso me orgulhar de ter ido malhar duas vezes na semana. Fiquei com a consciência menos pesada.

 

Dia 26 foi dia de reunião na casa do tio do Morten. A mãe da minha sogra fez Sodd (bolinhos de carne de boi e de cordeiro acompanhados de batatas e cenouras cozidas)  e de sobremesa pudim de leite.

 

Dia 27 foi dia de folga das reuniões familiares. Dia 28, nosso último dia na cidade, fomos passear em Trondheim. Trocamos meus sapatos de esquis (eles serviram, mas meu marido queria que eles fossem maiores para eu poder usá-los com meias de lã) e fomos ao café da biblioteca de Trondheim.

 

 

Antes de seguir de volta para casa, jantamos na casa da família do meu sogro. Mais um jantar natalino, desta vez com carne de alce, muitas batatas e legumes e sorvete de sobremesa.

 

Tradições natalinas

Tradições natalinas

Aqui na Noruega, é tradição fazer muitas comidas e bebidas tradicionais de Natal. Já mencionei a casa e os biscoitos de pimenta, mas tem muito mais. Meu marido fez uma bebida chamada «Ingefærøl» que em inglês tem o nome de «Ginger Ale». Não vai nada de álcool. Água, açúcar, gengibre, limão, uvas passas e fermento biológico. Eu não sabia que é o fermento biológico o responsável pelo gás dos refrigerantes. Hoje experimentamos e ficou delicioso. Não é tradição natalina, mas aproveitando o pique, meu marido também fez cerveja. Eu não sou muito chegada a cerveja, mas quem experimentou disse que é muito gostosa. 

Na parte de comidas, existe uma lista de biscoitinhos de Natal que toda casa tem que ter, pelo menos 7 tipos, diz a tradição. A minha sogra enche latas e mais latas com essas guloseimas. Eu só me aventurei com os «pepperkaker» e um docinho que lembra muito o nosso brigadeiro, mas é feito com muito coco ralado e um tiquinho de conhaque, chamado «konjakkuler».

Algo engraçado aqui é que todo santo ano a televisão exibe os mesmos programas. Dia 23 à noite tem um esquete clássico que mostra uma senhora idosa e rica que finge dar um jantar de Natal para muitos convidados. Dia 24 eles exibem uma versão do conto de fadas Cinderella.

Vou trabalhar até sábado, depois viajo para Klæbu. Só trabalho no sábado seguinte.

Boas festas!

 

 

Espírito natalino

Espírito natalino

Pois é, ele chegou. Ano passado eu não fui contagiada nem um pouco pelo clima de Natal. Fazia menos de dois meses que eu havia chegado a Noruega, estava confusa, com saudades de casa e não sabia muito das tradições daqui. Mas, este ano é diferente. Estou vivenciando a chegada do Natal, o advento, os preparativos com muita intensidade e entusiasmo. Já fizemos nossa casa de biscoitos e alguns biscoitinhos para usar como decoração. Este biscoito chama-se pepperkake (bolo de pimenta), mas de pimenta ele não tem nada. Tem cravo, canela e gengibre. A casa se encheu de um perfume delicioso.

Terça-feira, enquanto eu passeava por Trondheim, pude entrar na catedral de Nidaros e alguém praticava músicas no órgão. Entre muitos agradecimentos e alguns pedidos, senti uma paz infinita naquela catedral antiquíssima. Pena que, dez minutos depois, uma senhora muito simpática veio se desculpar e informar que a catedral estava fechada. Ops, quase que me esquecem lá dentro!

Na volta de Trondheim, mais um sonho realizado. Testemunhamos o espetáculo da natureza chamado «aurora boreal». E, ao contrário da primeira vez, não durou apenas alguns segundos. O que vimos no céu estrelado de uma noite congelante foi exatamente isso:

Descemos do carro e contemplamos as luzes do norte durante pouco mais de cinco minutos. Queria ter ficado mais, mas era tarde da noite.

A professora Valborg já me inscreveu na prova de norueguês Trinn 3. Vai ser dia 7 de fevereiro de 2008. Se eu passar nessa prova eu poderei começar a faculdade!

Estou ensinando uma nova funcionária que vai assumir o banco e a agência dos correios. Ela é da Turquia e é muito simpática.

Hoje é dia de Santa Luzia, bem popular aqui na Noruega.

Viagem relâmpago

Viagem relâmpago

Estamos em Trondheim. Ontem limpei o shopping de manhã e à noite para não ter que ir limpar hoje e estamos em Klæbu agora. Voltamos para casa hoje à noite. Está tudo branquinho aqui.

No final de semana construímos nossa casa de biscoito e ela ficou assim:

Enchemos 5 latas de biscoitos natalinos!

Depois escrevo mais.

Aprendendo a dizer não

Aprendendo a dizer não

Como havia escrito antes, ontem foi meu último dia como substituta na limpeza do banco e da agência dos correios. Só que hoje de manhã recebi uma mensagem da minha chefe perguntando se eu não podia «segurar a barra» até ela arrumar outra pessoa, por que a titular está de licença médica até o final do ano (!!). Eu pensei, pensei e decidi dizer «não». Foram vinte dias de trabalho, acho que eu cumpri minha parte. Eu tenho o péssimo hábito de ser boazinha demais, mas preciso mesmo estudar. Eu disse sim duas vezes, não estou me sentindo mal de forma alguma.

A reunião na escola quarta foi excelente. O curso superior para professores parece que vai sair mesmo, começando em setembro do ano que vem. As matérias são muito interessantes, e fiquei sabendo que poderei me especializar em mais de uma matéria. Ou seja, além de inglês, poderei me formar professora de norueguês ou/e de história. O que me deixou muito feliz foi saber que eles aceitaram as horas que eu estudei no colegial Brasil! Estou dispensada de matemática. E se eu passar no exame de norueguês Trinn 3 que farei em fevereiro, também serei dispensada do norueguês! O ensino será gratuito e teremos que comprar os livros por conta própria. Mas, o governo nos dará um ‘stipend’ que é uma ajuda de custo para os estudantes que não podem trabalhar e estudar ao mesmo tempo e se quisermos, poderemos tirar um crédito educativo, um empréstimo que poderemos pagar lá na frente a juros baixíssimos. Já disse uma vez e repito: Aqui na Noruega, só não estuda mesmo quem não quer.

Duas notícias que chamaram minha atenção esta semana:

Há uma proposta do governo norueguês de instituir serviço militar obrigatório para as mulheres também. Atualmente, somente os homens são obrigados a servir o exército por um ano no mínimo, tendo posteriormente que se apresentar para treinamentos militares de curta duração a cada ano. Apenas as mulheres que têm vontade se alistam. Mas, se a proposta passar, as mulheres também serão obrigadas! A Noruega tem uma posição de «likestilling» (direitos iguais aos homens e mulheres), então nada mais justo do que obrigar os dois sexos a servirem o exército. Mas, que é estranho, isso é.

Outra notícia é que com a aproximação do Natal, aumentam os furtos em lojas norueguesas. Os seguranças estão tendo trabalho redobrado para conter os larápios de plantão. Um deles declarou que as piores ladras são as madames que entram nas lojas com casacos de pele! É, morar num país que se vangloria de ser o mais rico do planeta não significa que todo mundo quer gastar. Alguns querem mesmo é roubar.

Virei notícia

Virei notícia

Meu final de semana em Trondheim foi muito bom, mas como sempre muito cansativo também. Sexta-feira limpamos o shopping e depois dirigimos para Trondheim, onde passamos o dia comprando presentes de Natal. Às 6 da tarde chegamos no apartamento dos meus cunhados, onde jantamos e assistimos a um filme palestino muito interessante, mas eu, pra variar, andei dando umas cochiladas. Sábado fomos visitar os avós maternos do Morten e ficamos mais tempo do que planejamos. De noite fomos ao apartamento do meu outro cunhado, para onde ele acabou de se mudar junto com a namorada. O apartemento é muito moderno e prático, adorei. De lá seguimos para a casa do nosso padrinho de casamento e melhor amigo do Morten, onde ele nos recebeu com a namorada, que é nossa madrinha. Pouco depois mais um amigo do Morten chegou com sua namorada também e conversamos todos juntos por um bom tempo. Chegamos na casa dos meus sogros às 2 da manhã. Eu que dirigi. Domingo voltamos pra casa cerca de 3 da tarde e eu vim dirigindo de Trondheim até a porta de casa! A estrada estava um sabão, tive que redobrar a atenção, mas felizmente correu tudo bem.

Foto que eu tirei enquanto passeava pelas ruas de Trondheim (saiu tremida por que eu estava andando). Horário em que eu tirei a foto: 4 horas da tarde!

Amanhã será definitivamente meu último dia como substituta na limpeza do banco e da agência dos correios. Minha rotina está de pernas pro ar, não consigo fazer lição de casa para o curso de norueguês e ando muito cansada, com os braços doloridos de tanto usar o mopp no chão. Basta só com o shopping, quero priorizar a escola agora. Recebi as notas das minhas últimas redações e estou muito satisfeita. Até agora tirei as seguintes notas (Numa escala de 1 a 6, a primeira nota sendo para o idioma e a segunda para o conteúdo):

Artigo sobre a fome: +4/5
Caso sobre perder peso: 5-/5-
Artigo sobre o ensino de inglês (onde eu entrevistei meus alunos Gema e Sandro): 5+/6
Texto sobre meus desafios como imigrante na Noruega: 4+/5 – Este texto eu escrevi na escola, só com dicionário.

E foi na escola, com meus colegas de classe e a minha professora que eu tirei a foto abaixo, que foi publicada no jornal local ontem. Hoje à noite haverá uma reunião para nos informar sobre o curso superior para professores e enfermeiros que será realizado em parceria com a Escola superior do condado de Nord-Trøndelag. Serão 5 anos, mas ouvi dizer que já arrumaremos emprego antes desses 5 anos. Espero que eu possa participar, é uma oportunidade única.

Eu com meus colegas de classe (alguns levaram seus pimpolhos nesse dia) e a professora Anne Brit, de cachecol laranja