Måned: juli 2008

Noruega pegando fogo

Noruega pegando fogo

Meu marido está na última semana de férias antes de começar no novo emprego e eu ainda não decidi se vou só estudar ou trabalhar e estudar. Então, estamos somente relaxando. E o tempo está nos ajudando até demais. Desde semana passada as temperaturas aqui em Trøndelag oscilam entre 25 e 30 graus Celsius – na sombra! As casas aqui são construídas para aguentar o frio, então quando faz calor, ninguém consegue ficar dentro das casas. Resultado: todo mundo nas varandas e jardins de biquíni e calção de banho, batendo papo, fazendo churrasco e tomando sol. Já tive que repetir diversas vezes para meu marido e família: «Hoje está mais quente na Noruega do que no Brasil!» Eles adoram ouvir isso, hehe.

Eu, que pensava que jamais iria nadar num lago ou praia norueguesa, me enganei redondamente. Domingo e ontem fomos a dois lugares maravilhosos e ficamos o dia inteiro. A água estava fria no começo, mas estava tão, mas tão quente, que só me restou mergulhar e me refrescar. Hoje nós iríamos a uma fazenda colher morangos, mas o programa foi adiado para amanhã. Vou terminar de ler meu livro e tomar um pouco de sol no jardim com a sogrinha.

O que me deixa feliz aqui na Noruega é ver que ninguém repara se fulana está gorda demais para entrar num biquíni ou tem muita celulite para mostrar as pernas. No verão, quanto menos roupa, melhor. Só que, diferentemente do Brasil, não tem caminhoneiro falando besteira para as moças nas ruas e não tem vigilância das mulheres sem ter o que fazer.

Ontem assistimos ao filme » O caçador de pipas». Lindo, é só o que eu tenho a dizer.

Mudei – parte 2

Mudei – parte 2

Sábado meu marido voltou do chalé e ficou radiante ao saber da notícia de que entrei na escola. Começamos a fuçar na internet para saber do curso e adorei o que eu li. O curso será todo em inglês, vamos escrever muito e ler muito. Na metade de agosto haverá uma reunião para recebermos informações básicas antes do início das aulas. Ser estudante na Noruega, pelo que eu li, traz muitas vantagens. Terei direito a empréstimo do governo a ser pago so depois que eu arrumar um emprego na área que estou estudando, sem juros e correção nenhuma para comprar meus livros e cobrir despesas básicas. Terei direito a um bom dinheirinho mensal – não é empréstimo, é ajuda de custo, academia a preço irrisório, descontos em cursos, etc. E olha que eu e o Morten nem lemos todas as informações. Estou pensando se eu arranjarei um emprego de limpeza algumas horas por dia ou se vou mergulhar fundo nos estudos.

Sábado também foi dia de namorar. Fomos ao cinema, cafés, fizemos suflê de queijo pro jantar… Foi ótimo recarregar as baterias, por que domingo o dia foi muito puxado. Alugamos uma espécie de caçamba fechada para transportar mudança e lá fomos nós para Frøya. Eu que dirigi o caminho inteiro com a tal caçamba atrás. Três horas de viagem. Carregamos a caçamba e o carro com caixotes e móveis, fizemos uma boa faxina na casa e dirigimos de volta para Trondheim – mais três horinhas de viagem até a fazenda dos avós do Morten. O vovô, meu cunhado e a namorada nos ajudaram a carregar  tudo para o celeiro. Ao final, a vovó nos ofereceu nada mais, nada menos que morangos que ela mesma colheu da sua plantação com creme de leite e açúcar. Que delícia!

Depois de bater um longo papo com eles, voltamos para Klæbu e carregamos a cama pro nosso quarto no segundo andar. Depois disso, foi tomar banho, (tentar) assistir televisão e dormir.

O filme que assistimos sábado vale uma recomendação. Estávamos indecisos entre ver  «Mamma Mia», um filme espanhol e este. E nao nos arrependemos. Trata-se de «Le fils de l’épicier» (traduzido pro norueguês como «O mercador de Provence»). É um filme francês que conta a história de um filho rebelde que volta pra sua terra natal, um lugarejo em Provence, para ganhar dinheiro dirigindo uma venda ambulante. Estamos numa fase de filmes franceses – há algumas semanas assistimos a «Ensemble, c’est tout», com a mesma atriz que fez Amélie Poulain. Adoro o modo com filmes franceses nos mostram pequenos detalhes da vida que nós infelizmente nem notamos no nosso dia-a-dia.

Consegui mais uma vez

Consegui mais uma vez

Sábado, 19 de julho, cerca de 9:30 da manhã. Depois de tomar café-da-manha sozinha (todo mundo está no chalé), fui checar meus emails e vi um do Samordna opptak, o órgão que processou meu requerimento para entrar na faculdade. Resposta número um: eles aceitaram todos os meus documentos e eu tenho finalmente o studiekompetanse, posso fazer faculdade aqui. Resposta número dois: consegui vaga na minha primeira opção, um ano de bacharelado em língua inglesa na Universidade de Trondheim, NTNU.

  

Estou tão feliz! Meu marido volta do chalé daqui a pouquinho. Pensei em ligar, mas, tive outra idéia. Mandei o mesmo email que recebi para ele. Assim, ele vai ter a mesma surpresa que eu tive agora há pouco.

Os meus planos são fazer este ano de inglês e depois pedagogia. Quero tentar lecionar adolescentes no colegial ou quem sabe na faculdade.

Quando Deus fecha uma porta, ele sempre – sempre abre uma janela. Obrigada!!!

Mudei – parte 1

Mudei – parte 1

Ontem nós trouxemos a primeira leva de caixas para a casa dos meus sogros. A maior parte das coisas ainda está em Frøya e nos vamos buscá-las no final de semana e levá-las para o celeiro do avô do Morten.  Eu já arrumei quase tudo que veio para cá e hoje o dia está sendo bem relaxante, sem estresse. O Morten foi para o chalé ajudar o pai com a troca do telhado e eu resolvi ficar aqui, sozinha. Tenho um livrão para ler, lugar para fazer caminhadas,  internet, TV a cabo, então falta do que fazer não vai ser problema. Amanhã pode ser que eu vá para Trondheim de ônibus sozinha. Uma hora vou ter que começar a fazer isso, então preciso treinar. A boa notícia do dia foi o telefonema da polícia de Frøya comunicando que meu visto chegou. Demorou o mesmo que no ano passado, 2 meses.

Kaoskontroll

Kaoskontroll

«Kaoskontroll» é o nome de um programa de TV que está sendo reprisado aqui. A apresentadora visita uma casa onde um dos moradores coleciona ou ‘soca’ tanta coisa no porão ou nos cômodos, que é quase impossível andar. Uma empresa de mudanças tira tudo da casa, e o morador tem que separar o que ele quer jogar fora, o que ele quer vender, o que ele quer doar e o que ele quer guardar. Ao mesmo tempo, um arquiteto reforma o cômodo onde a bagunça estava.

A minha casa está exatamente um caos agora. Caixas, sacolas, móveis, tudo fora do lugar. Mudamos terça-feira que vem (dia 15). Como nós vamos morar na casa dos sogros até viajarmos para o Brasil em dezembro, não vou levar tudo para lá. A maioria das nossas coisas irão para o celeiro do vovô Johan. Eu consegui uma porção de caixas de papelão lá no shopping que eu limpo. Eles jogam várias caixas, móveis, objetos numa caçamba. Nestes últimos dias eu estou parecendo a «rainha da sucata», hahaha. Eu quero fazer uma mudança decente, com tudo encaixotado, embalado e em seu devido lugar. Escrevi etiquetas com o conteúdo de cada caixa, assim sabemos o que vamos levar pros sogros e o que vai pro celeiro.

Depois da mudança, meu marido terá 15 dias de descanso até começar no novo emprego. Eu também vou tirar duas semanas de folga. Já sei que tem emprego de limpeza na mesma empresa que eu trabalho. Eu mandei uns currículos para trabalhar em creche, mas recebi não de todos. É que eu me esqueci que, mudando para a cidade grande, as oportunidades aumentam, mas os concorrentes também. Como não tenho experiência alguma, vai ser difícil arrumar algo mais do que limpeza por enquanto. Além do mais, eu vou ficar um mês fora do país em dezembro e janeiro, então não sei se seria uma boa idéia apostar num emprego melhor e ter que dizer pro chefe: «Começo em agosto, e já vou tirar férias de um mês em dezembro», hehe. Se eu entrar na faculdade, também vou querer um emprego de poucas horas, um emprego que não me estresse e que não tenha gente pegando no meu pé. Vou querer dedicar muito tempo para os estudos. Por isso, limpeza neste exato momento é a melhor opção. Trabalho sozinha, ouvindo música, sem chefe e sem amolação.

Depois que eu estiver engrenando na faculdade, vou poder sonhar com outros empregos. O difícil às vezes é ter paciência para esperar, mas estou melhorando. Agora vou voltar para o meu «kaos».

Dando sinal de vida

Dando sinal de vida

Desde meu último sinal de vida, muita coisa legal e uma não tão legal aconteceram. A coisa chata foi que fomos ‘presenteados’ com um raio na nossa casa durante uma chuvarada aqui na ilha. Perdemos um computador (que já estava caindo aos pedaços de tão velho, mas até que funcionava) e o modem que nos conectava à internet queimou. Como estamos de mudança, resolvemos não investir em um modem novo. Então estamos nos ajeitando com a conexão via celular (bluetooth), que custa mais caro e, por isso deve ser usada com moderação.

Agora, as coisas legais:

Recebemos a visita fofa dos avós maternos do Morten, cheios de energia e animação. Passeamos muito e nos divertimos bastante.

Minha nota do TOEFL chegou. Fiz 640 pontos dentre os 677 possíveis 🙂 94,5% de acerto! Nota da redação, 5 (dentre 6 possíveis). As autoridades de ensino daqui exigem pontuação mínima de 500 pontos, então fiquei super feliz.

Minhas notas da escola também chegaram. Prova escrita de norueguês, 4 (lembrando que a nota máxima é 6). Nota final de norueguês, 6 (nota máxima). Nota final de sociedade e cultura norueguesa, 5. 🙂

Enviei as notas para o órgão que vai analisar se eu tenho o realkompetanse (educação suficiente para entrar na faculdade). Se eu conseguir vaga este ano, começo a faculdade. Se não, fica pro ano que vem.

Final de semana passado fizemos a nossa viagem curtinha. Foi uma viagem internacional para a Suécia! Tudo bem que Suécia quase não conta por ser vizinha mas, eu garanto, as diferenças entre os dois países são bem notáveis. A começar com os preços (muito mais baixos), a variedade de produtos (dá de 1000 a 0 na Noruega) e a infraestrutura turística (bem melhor). Depois eu posto fotos.

Estamos em ritmo de mudança. Empacotando e organizando.