Måned: november 2008

Sem muito o que falar, além de que…

Sem muito o que falar, além de que…

…meus dias se resumem a ler, escrever, revisar, decorar. Segunda-feira agora é a prova de Global English. Para poder me sair bem nessa prova tenho que saber os seguintes temas:

  • Diferenças (de gramática, vocabulário, e pronúncia) entre o inglês falado nos EUA, Inglaterra, Irlanda, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Caribe, Europa e outro lugares por aí afora;
  • por que inglês se tornou uma língua global (razões históricas e econômicas);
  • que influência a literatura teve na divulgação do inglês no mundo. (a obra Robinson Crusoé, de Daniel Defoe, por exemplo), e
  • saber discutir se a língua se tornou uma tirana ou uma unificadora de povos.

E isso é só a primeira das quatro provas!

Ainda bem que haverá intervalos entre elas, isso me dá um pouco mais de tempo.

Estou terminando de ler «Othello» de Shakespeare e descobri que a lenda dos chifres que crescem nas cabeças dos traídos foi tirada de lá! Lendo e aprendendo!

Deixa eu voltar pros meus livros.

A neve chegou para ficar…será?

A neve chegou para ficar…será?

Desde o começo da semana a neve vem ensaiando sua chegada…até que hoje:

Eu tive que ir ao supermercado e quando saí de casa, encontrei nosso carrinho assim:

Usei uma vassoura, uma espátula para raspar vidro e o carro ficou em condições de sair:

Mais algumas fotos do dia de hoje:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Neve pode significar frio, vento, dificuldades para andar no chão escorregadio, tempo extra para deixar o carro em condições de dirigir, etc. Mas, que ela é linda, isso é.

Atualização: Vim pra faculdade hoje, sexta-feira, e enfrentamos uma tempestade de neve. Neva e venta sem parar! Brasil, 20 dias!!!

Duas semanas de cão

Duas semanas de cão

Esta semana e a próxima serão muito tensas para mim. Quase não tenho mais aulas na faculdade por que as provas se aproximam. Já comecei a ler os livros e apostilas, e acho que não entrarei em pânico. Falando em pânico, por que é que tem gente que adora fazer um dramalhão mexicano, digno de lágrimas, para se fazer de vítima? Estou me referindo a alunos que bradam: «Não sei nada! O que eu vou fazer? Vou ser reprovada! Estou desesperada!», etc. Penso que quando a gente escolhe entrar na faculdade, temos que nos dedicar. Essa história de fazer corpo mole o semestre inteiro e surtar nas últimas semanas não cola.

Amanhã terei uma palestra sobre a peça de Shakespeare «A Midsummer Night’s Dream». Eu consegui ler a peça até o fim.

No final de semana eu e o marido fugimos para o chalé da família para descansar e curtir o inverno. Valeu a pena.

Investimos numa máquina fotográfica nova, com muitos recursos e acessórios.

Parece que a gente vai fazer uma viagem para Foz do Iguaçu enquanto estivermos no Brasil.

Brasil, faltam 23 dias!

Pizza e rabarbra à brasileira

Pizza e rabarbra à brasileira

Sexta-feira eu e o Morten fomos encontrar nossos amigos e também padrinhos de casamento que moram em Oslo. Nós não havíamos nos encontrado desde abril, então o que não faltou foi assunto para conversar. Jantamos numa pizzaria conhecida aqui na Noruega chamada «Peppe’s Pizza». A decoração do lugar era bem interessante, com objetos e móveis antigos, o que deu ao lugar uma atmosfera bem aconchegante.

Depois da pizza, fomos dar uma volta no bairro de «Bakklandet», que fica do outro lado do rio Nidelva, atravessando a charmosa ponte velha, «Gamle Bybro». Eu queria saber onde ficava um barzinho chamado «Rabarbra», por que tinha lido num fórum sobre um músico brasileiro que iria tocar lá naquela noite. Por sorte, conseguimos achar o bar. E todos toparam entrar para conferir. O bar era minúsculo e lotou rapidamente. As músicas eram bem o meu estilo, e me fizeram querer chegar ao Brasil logo. Conheci a namorada do músico, que é norueguesa, mas morou no Brasil e fala um perfeito português. Ainda experimentei um bolo de rabarbra, planta típica da Noruega que quase todos tem em seus quintais. Algumas fotos:

 

 

Thiago Dutra em ação

 

 

 

 

 

 

 

Eu e meu marido curtindo o som

 

 

 

 

 

A «tchurma» de amigos encerrando a noite com muita animação no centro de Trondheim, lindo com as árvores iluminadas

Dias agitados

Dias agitados

Aquela lista de trabalhos e provas que eu montei há algumas semanas agora está assim:

  • Trabalho de fonética para o dia 24 de outubro
  • Uma argumentação em inglês para o curso de proficiência para o dia 29 de outubro
  • Um artigo sobre a contribuição do cinema americano para a disseminação do inglês no mundo para dia 3 de novembro
  • Um artigo sobre o modelo dos círculos concêntricos de Kachru (?) e sua adequação no que se refere aos países falantes de inglês para dia 3 de novembro
  • Uma análise de uma música em inglês caribenho para dia 3 de novembro
  • Prova final de inglês global dia 1 de dezembro
  • Prova final de drama e poesia inglesa dia 5 de dezembro
  • Prova final de literatura, fonética e linguística dia 6 de dezembro
  • Prova final de proficiência em inglês dia 8 de dezembro

Então, a partir de agora vou me enterrar em livros e estudar para as provas! Estou pensando no que fazer depois de terminar este meu årsstudium (ano acadêmico). Faço o bacharelado em inglês ou parto para a outro curso? Ó, dúvida cruel! Eu me apaixonei por este curso, estou amando traduzir, ler poesia e conhecer o inglês de outros povos. Mas, ao mesmo tempo, tenho que ingressar no mercado de trabalho norueguês, então não posso me dar ao luxo de ficar na escola e vivendo de bolsa. Depois que eu voltar do Brasil, eu resolvo.

Sábado aproveitamos (nós e Trondheim inteira) para ir ao cinema e pagar meia entrada. Assistimos a um filme feito para crianças e adultos: «Kurt blir grusom».  Valeu a pena.

Segunda-feira, fomos finalmente a um concerto na catedral de Nidaros:

No programa estavam a orquestra real da aeronáutica e uma soprano chamada Stine Mari Langstrand. Eu, que acho musica lirica belíssima, mas nunca tinha tido a oportunidade de ver uma apresentacao ao vivo, me debulhava em lágrimas cada vez que a moça cantava (e não fui só eu, escutei muitos suspiros e choros atrás de mim). Inesquecível.

Estou mandando mais documentação, desta vez pro Nokut, para reconhecer meus anos de USP no Brasil.

A neve que caiu sexta-feira foi só amostra. Agora está frio, mas sem neve, o que significa chão escorregadio por causa do gelo. Já tratei de providenciar meus brodder (solas de borracha com tachinhas que acoplamos no sapato), assim eu não caio de jeito algum. Este ano vou conhecer o inverno norueguês de verdade, por que o inverno de Frøya era bem mais ameno.