Måned: februar 2010

Os palhaços das Olimpíadas são noruegueses

Os palhaços das Olimpíadas são noruegueses

Nessas férias de inverno na Noruega, estou desfrutando tanto do meu posto de estudante na faculdade (faculdade sem aulas duas semanas) e do meu posto de professora (sem estudantes, sem aulas, portanto de folga). Já botei muita da leitura em dia e hoje vou fazer uma bela de uma faxina em casa. Falando em faxina, assisti a um filme divertidíssimo chamado «Domésticas» do Fernando Meirelles. Embora o filme fale das domésticas de Sampa, não foi difícil encontrar semelhanças entre ser faxineira lá e ser faxineira aqui. É uma profissão sofrida mesmo, como dizem no filme. Quero que meu marido assista também, e por isso comecei com um novo hobby: o de legendar filmes. Baixei um programa fácil de usar e já comecei. Vai ser bem mais prático do que pausar o filme e ter que traduzir tudo do português pro norueguês pro marido.

Como estou em casa sozinha (Morten conseguiu antecipar a volta pra hoje à noite, êêê!!), ando assistindo às Olimpíadas de inverno na TV. Ontem ganhamos prata no revezamento 4x10km no esqui cross-country e hoje é a vez das mulheres. Mas, um esporte que tem atraído minha atenção é um chamado «curling«. Trata-se de uma mistura de bocha com elementos de sinuca, enfim é um jogo que requer mais tática que preparo físico. O time norueguês está indo bem, hoje joga a semifinal contra a Suíça. Porém, o que mais tem chamado a atenção no time de curling da Noruega são suas calças:
Estes estão sendo chamado de «os palhaços», e com razão. Ontem o rei da Noruega ganhou uma calça do time e a vestimenta parece que está virando coqueluche nos EUA. Espero que o time consiga voltar com uma bela de uma medalha e não fique conhecido apenas como os «palhaços».
Os palhaços das Olimpíadas são noruegueses

Os palhaços das Olimpíadas são noruegueses

Nessas férias de inverno na Noruega, estou desfrutando tanto do meu posto de estudante na faculdade (faculdade sem aulas duas semanas) e do meu posto de professora (sem estudantes, sem aulas, portanto de folga). Já botei muita da leitura em dia e hoje vou fazer uma bela de uma faxina em casa. Falando em faxina, assisti a um filme divertidíssimo chamado «Domésticas» do Fernando Meirelles. Embora o filme fale das domésticas de Sampa, não foi difícil encontrar semelhanças entre ser faxineira lá e ser faxineira aqui. É uma profissão sofrida mesmo, como dizem no filme. Quero que meu marido assista também, e por isso comecei com um novo hobby: o de legendar filmes. Baixei um programa fácil de usar e já comecei. Vai ser bem mais prático do que pausar o filme e ter que traduzir tudo do português pro norueguês pro marido.

Como estou em casa sozinha (Morten conseguiu antecipar a volta pra hoje à noite, êêê!!), ando assistindo às Olimpíadas de inverno na TV. Ontem ganhamos prata no revezamento 4x10km no esqui cross-country. A Suécia levou o ouro para a grande decepção dos noruegueses. Perder para a Suécia significa o mesmo que o Brasil perder no futebol para os argentinos, ou o «Curíntia» perder pro «Parmera». Mas, um esporte que tem atraído minha atenção é um chamado «curling«. Trata-se de uma mistura de bocha com elementos de sinuca, enfim é um jogo que requer mais tática que preparo físico. O time norueguês está indo bem, hoje joga a semifinal contra a Suíça. Porém, o que mais tem chamado a atenção no time de curling da Noruega são suas calças:

Estes estão sendo chamado de «os palhaços», e com razão. Ontem o rei da Noruega ganhou uma calça do time e a vestimenta parece que está virando coqueluche nos EUA. Espero que o time consiga voltar com uma bela de uma medalha e não fique conhecido apenas como os «palhaços».

ATUALIZAÇÃO:
O time de cross-country feminino da Noruega levou ouro no revezamento 4×10 e o time de curling ganhou da Suíça na semifinal. Pelo menos a medalha de prata já está garantida!

Salve Simonal – Alegria, alegria!

Salve Simonal – Alegria, alegria!

Página do Google dando a temperatura em Trondheim e em São Paulo hoje, 23 de fevereiro:

Só vou sair de casa hoje se for emergência!

Este post é para homenagear um dos artistas, ou talvez o artista brasileiro mais injustiçado da história. Ontem assisti ao documentário Ninguém sabe o duro que dei, que narra a trajetória de Wilson Simonal, de seu auge até a sua triste morte, no anonimato. Ao pesquisar mais sobre ele, me deparei com uma coincidência: hoje ele estaria fazendo 72 anos. Entre tantas belas canções, escolhi a minha favorita e que traduz um pouco seu maior talento: o de fazer «o povo inteiro cantar». Para minha sorte, meu pai tem, em seu imenso acervo de vinil muitas dessas pérolas que aparecem no vídeo.

Bløtkake – Bolo de aniversário da Noruega

Bløtkake – Bolo de aniversário da Noruega


Ingredients:
5 ovos
200 gramas de farinha de trigo
200 gramas de açúcar
1 colher e meia de chá de fermento em pó
Manteiga ou margarina para untar a fôrma
1 colher de sopa de farinha de trigo para polvilhar a fôrma
Suco de laranja ou leite para umedecer o bolo
Meio litro de creme de leite que bate chantili
Geléia de morango ou frutas em calda para o recheio
Massa de marzipan comprada pronta

Directions:
Pré-aqueça o forno à temperatura de 200 graus.
Bata os ovos e o açúcar na batedeira por cinco minutos, até formar uma massa clara e leve. Peneire a farinha e o fermento misturados sobre a massa de ovos e mexa com uma espátula fazendo movimentos bem leves, criando muitas bolhas de ar na massa.
Despeje a massa numa fôrma redonda de 24 cm de diâmetro untada e polvilhada com farinha.
Leve o bolo ao forno (na parte mais baixa) e abaixe a temperatura para 170 graus.
Depois de mais ou menos 35 minutos, espete um palito de churrasco no meio do bolo para ver se está assado. Se o palito sair com restos de massa, asse um pouco mais. Se o palito sair seco, o bolo está pronto.
Tire a fôrma do forno e vire-a sobre uma tábua ou grade coberta com papel manteiga. Deixe o bolo esfriar por completo.
Divida o bolo em três camadas de igual espessura com uma faca de pão. Molhe a camada que vai ser a base com colheradas de suco de laranja ou leite. Espalhe o recheio escolhido e chantili.
Coloque a camada que vai ser o meio do bolo por cima da base e molhe-a também. Repita o processo do recheio e do chantili.
Coloque a camada que vai ser o topo do bolo por cima do meio e cubra o topo e as laterais do bolo com uma fina camada de chantili.
Abra a massa de marzipan com ajuda de um pouco de maizena e um rolo de macarrão e cuidadosamente cubra o bolo com ela.
Decore à gosto com chantili, chocolate derretido, etc.

Fazendo bico de corretora de imóveis

Fazendo bico de corretora de imóveis

Os dois bolos que eu fiz para o aniversário do Morten ficaram ótimos. O que ele levou para o trabalho eu não experimentei, mas ele disse que foi muito elogiado. Tenho a foto de recordação:

O que eu fiz para nós dois era bem menor e com outro recheio, mas ficou bom também:

Este é o bolo de aniversário mais popular aqui na Noruega e chama-se «bløtkake», ou bolo ensopado. Trata-se se pão de ló cortado em três partes, umedecido com suco de laranja ou leite e recheado de geléia ou frutas e chantili. A cobertura é uma massa de marzipan comprada pronta. A receita está aqui. Quem entende norueguês pode ver este vídeo aqui.

Na quinta-feira, depois das aulas na escola, tive que trabalhar até mais tarde para preparar aulas, corrigir lições, etc. Não tenho problema em ter que fazer hora extra, por que teria que ficar no hotel sem fazer nada de qualquer jeito, então aproveito para trabalhar. Eu e meu marido tínhamos combinado que ele viria para Frøya na sexta de noite para entregarmos as chaves da casa para o novo dono e de lá voltaríamos para Trondheim juntos. Só que o Morten me ligou na quinta de tarde enquanto estava na escola para dizer que o novo dono da casa havia comprado fogão e geladeira e as mercadorias seriam entregues na sexta durante o dia, e por isso ele precisava das chaves antes! Resultado, eu teria que entregar as chaves sozinha e naquela mesma noite. Teria que preencher uns papéis e mostrar a casa toda para o dono e avisar sobre eventuais defeitos. Lá fui eu, meio tensa por causa da responsabilidade, mas felizmente deu tudo certo.

Hoje é domingo e a temperatura está 14 graus…negativos! O frio congelante voltou, espero que esta onde de frio não dure tanto quanto a anterior. Esta semana que começa agora tenho folga, tanto da faculdade quanto da escola, por causa das férias de inverno, uma semana livre para estudantes. Meu marido infelizmente terá que viajar a trabalho a semana toda, então terei que ficar sozinha. Bom motivo para organizar a casa e botar a leitura da faculdade em dia.

Não posso deixar de comentar que em Vancouver, no Canadá estão acontecendo as Olimpíadas de Inverno, evento pouquíssimo divulgado no Brasil. A Noruega está fazendo bonito, já conquistou 5 medalhas de ouro, 3 de prata e 3 de bronze, está colocada logo atrás dos EUA. Não posso também deixar de comentar que a maioria das medalhas norueguesas foram conquistadas por atletas daqui do meu condado, Trøndelag! Saiu até reportagem nos jornais canadenses falando disso. Morando aqui há três anos dá sim um certo orgulho.

Fazendo bico de corretora de imóveis

Fazendo bico de corretora de imóveis

Os dois bolos que eu fiz para o aniversário do Morten ficaram ótimos. O que ele levou para o trabalho eu não experimentei, mas ele disse que foi muito elogiado. Tenho a foto de recordação:

O que eu fiz para nós dois era bem menor e com outro recheio, mas ficou bom também:

Este é o bolo de aniversário mais popular aqui na Noruega e chama-se «bløtkake», ou bolo ensopado. Trata-se de pão de ló cortado em três partes, umedecido com suco de laranja ou leite e recheado de geléia ou frutas e chantili. A cobertura é uma massa de marzipan comprada pronta. Vou postar a receita.

Na quinta-feira, depois das aulas na escola, tive que trabalhar até mais tarde para preparar aulas, corrigir lições, etc. Não tenho problema em ter que fazer hora extra, por que teria que ficar no hotel sem fazer nada de qualquer jeito, então aproveito para trabalhar. Eu e meu marido tínhamos combinado que ele viria para Frøya na sexta de noite para entregarmos as chaves da casa para o novo dono e de lá voltaríamos para Trondheim juntos. Só que o Morten me ligou na quinta de tarde enquanto estava na escola para dizer que o novo dono da casa havia comprado fogão e geladeira e as mercadorias seriam entregues na sexta durante o dia, e por isso ele precisava das chaves antes! Resultado, eu teria que entregar as chaves sozinha e naquela mesma noite. Teria que preencher uns papéis e mostrar a casa toda para o dono e avisar sobre eventuais defeitos. Lá fui eu, meio tensa por causa da responsabilidade, mas felizmente deu tudo certo.

Hoje é domingo e a temperatura está 14 graus…negativos! O frio congelante voltou, espero que esta onda de frio não dure tanto quanto a anterior. Esta semana que começa agora tenho folga, tanto da faculdade quanto da escola, por causa das férias de inverno, uma semana livre para estudantes. Meu marido infelizmente terá que viajar a trabalho a semana toda, então terei que ficar sozinha. Bom motivo para organizar a casa e botar a leitura da faculdade em dia.

Não posso deixar de comentar que em Vancouver, no Canadá estão acontecendo as Olimpíadas de Inverno, evento pouquíssimo divulgado no Brasil. A Noruega está fazendo bonito, já conquistou 5 medalhas de ouro, 3 de prata e 3 de bronze, está colocada logo atrás dos EUA. Não posso também deixar de comentar que a maioria das medalhas norueguesas foram conquistadas por atletas daqui do meu condado, Trøndelag! Saiu até reportagem nos jornais canadenses falando disso. Morando aqui há três anos dá sim um certo orgulho.

Para quem pensa que a Noruega é perfeita

Para quem pensa que a Noruega é perfeita

Postado no Blogger dia 15 de fevereiro de 2010:

Esta semana os maiores jornais da Noruega publicaram uma notícia no mínimo chocante. Uma garota norueguesa que estava presa na Bolívia porque tentou sair do país com muitos quilos de cocaína conseguiu fugir da cadeia, foi até a embaixada norueguesa e os funcionários, mesmo sabendo que ela era fugitiva, deram a ela um novo passaporte norueguês. Ela conseguiu sair da Bolívia via Chile e França.

Há algumas semanas se tornou pública outra história igualmente chocante. Um ex-atleta marroquino com cidadania norueguesa vivia com os filhos que teve com uma mulher norueguesa no Marrocos. Eis que soldados noruegueses foram contratados (aparentemente pela embaixada norueguesa) para raptar as crianças e levá-las de volta a Noruega para ficar com a mãe. O pai está revoltado e anda falando muito mal das autoridades norueguesas na imprensa.

Sabendo dessas duas trapalhadas das autoridades norueguesas, não dá para não pensar em um outro caso ainda não resolvido. Há cerca de dois anos, uma norueguesa que estudava em Londres foi assassinada por um colega de faculdade do Iêmen. Ele fugiu para a terra natal e continua lá, livre leve e solto, apoiado pela família, riquíssima e protegido pelo fato de não haver tratado de extradição entre a Inglaterra e o Iêmen.

Aí vem a pergunta: como a Noruega poderá exigir justiça no caso do assassinato em Londres, quando apronta tantas por outro lado? Apesar de ser um país excelente em muitos aspectos, ainda há muito o que aperfeiçoar no que se refere a assuntos políticos e diplomáticos.

A semana em uma postagem

A semana em uma postagem

Postado no Blogger dia 15 de fevereiro de 2010:

É difícil lembrar tudo o que tenho para escrever nesta postagem, pois depois que escrevi a postagem passada aconteceram muitas coisas. Na quarta-feira de manhã, durante a aula do grupo de espanhol,onde praticamos gramática e comentamos um livro que estamos lendo, apareceu um fotógrafo que começou a tirar fotos nossas para publicá-las na página do instituto de línguas modernas. Pelo que eu entendi, isto tem a ver com a campanha para atrair estudantes de idiomas para a NTNU. Não creio que as fotos estão no site ainda, mas assim que ficar sabendo posto o link aqui.

Na quarta-feira também, mas de tarde, meu cunhado e a namorada trouxeram um fogão e uma lava-louças que eles tinham em casa, queriam vender e nós compramos. O fogão é daqueles com chapa de cerâmica, nunca tive um desses, a cozinha ficou mais moderna e bonita. Parece luxo demais falar de lava-louças, mas aqui na Noruega é quase uma necessidade. Meu marido ainda não a instalou por que estava faltando uma peça, mas se tudo der certo esta semana estaremos nos despedindo da pia, da esponja/escovinha e do Zalo (detergente norueguês).

Na quinta fui para Frøya e fiquei no hotel, bem comfortável apesar de simples. Fiquei muito feliz ao perceber que a recepcionista era uma menina da Turquia que trabalhou comigo fazendo limpeza um curto período quando eu morava em Frøya. Ela não se lembrou de mim, mas mesmo assim eu fiquei muito feliz por ver que outras estrangeiras na Noruega aos poucos conseguem empregos melhores.

Na sexta peguei o ônibus de volta para Trondheim e só tive tempo de jantar, tomar banho e arrumar as malas para a viagem a Oslo. Felizmente agora moramos a 5 minutos a pé da estação de trem, então chegamos bem antes e embarcamos. A nossa cabine era minúscula, mas bem funcional. Não conseguimos dormir muito bem por que não estávamos acostumados, creio que da próxima vez a viagem será melhor. Uma coisa chata que aconteceu no final da viagem foi constatar que não havia água nem nos toaletes nem na pia da nossa cabine, tivemos que escovar os dentes e lavar as mãos com água mineral.

Chegamos em Oslo bem cedinho e de tarde foi a comemoração do aniversário da filhinha dos nossos amigos. Ela está cada dia mais linda, balbucia algumas palavras e está quase conseguindo dar seus primeiros passinhos. Demos de presente um roupãozinho com seu nome gravado, acho que os pais dela adoraram. Não havia muita gente e nos divertimos muito.

No domingo depois do café-da-manhã fomos ao aeroporto tomar o avião de volta para Trondheim. Só 50 minutos de vôo, mais o ônibus para o centro e estávamos de volta ao lar. Ainda bem, pois pudemos descansar, desfazer as malas e aproveitar o finalzinho do domingo. Assistimos a um filme chamado «The assassination of Jesse James by the coward Robert Ford». Um tanto especial, mas interessante. Valeu pela ponta do Nick Cave como trovador de saloon do velho oeste.

Agora estou aqui fazendo bolo pro aniversário do maridão que é amanhã. Vou fazer um bolo pra ele levar pro trabalho (tradição por aqui) e um para nós dois. Se eu ficar satisfeita com o resultado posto fotos depois.

Cadê o tempo?

Cadê o tempo?

Postado no blogger dia 9 de fevereiro de 2010:

Sexta-feira passada fiquei em Frøya depois da escola porque meu marido viajou para lá de noite para limparmos a casa. O comprador assinou o contrato no sábado e agora falta só entregar as chaves, o que deverá acontecer nas próximas semanas. Já nesta quinta eu vou dormir em um hotel, por que a nossa casa está vazia agora e trouxemos o carro de volta para Trondheim. Nem acredito que me livrei do estresse de dirigir debaixo de tempestades de neve e estradas escorregadias. Morando no hotel vou poder ir a pé para a escola, já que ficam praticamente lado a lado.

Com tantos compromissos por causa da casa perdi um valioso final de semana, pois só trabalhei. O final de semana que vem também será agitado, pois vamos para Oslo para comemorar o aniversário de um aninho da afilhada do meu marido. Vamos viajar num trem que parte de noite, então resolvemos ficar numa cabine com cama e banheiro. Estou ansiosa para ver como que é, nunca fiz isso antes. Na volta vamos pegar um avião. Isso é ótimo, pois assim terei tempo de descansar antes da segunda-feira. Na terça é aniversário do meu marido, e já me comprometi a fazer um bolo de aniversário para ele levar pro trabalho.

No sábado escolheram a canção que vai representar a Noruega no concurso Eurovision. Não creio que esta canção terá alguma chance de vitória, havia algumas um pouco melhores, mas na minha opinião não acho que a Noruega repetiria o sucesso do ano passado com nenhuma das músicas concorrentes.

Para compensar, vou postar na sessão de vídeos a concorrente francesa de 2008, a divertidíssima «Divine» de Sebastién Tellier, que virou até comercial da Renault.