Måned: juni 2011

Det er ikke bare bare (não é tão fácil quanto parece)

Det er ikke bare bare (não é tão fácil quanto parece)

Sábado eu estava finalmente de malas prontas para minha tão aguardada, planejada e desejada viagem ao Brasil para matar a saudade da família. O Morten não veio dessa vez por que não pode tirar férias tão longas quanto as minhas. Ele me acompanhou até o aeroporto de Trondheim e a despedida foi, claro, muito triste. Ao passar pelo controle de segurança vi no monitor da sala de espera que meu voo, marcado para às 18hs40min tinha um novo horário: 20hs! Como assim? Meu voo para o Brasil ia sair de Frankfurt às 22hs40min! Eu nunca chegaria à tempo. E foi isso mesmo que aconteceu. O voo atrasou e eu, apesar de ter tentado, perdi meu voo para São Paulo. A companhia aérea me deu então um quarto de hotel (Sheraton, chique!) e duas refeições. Avisei a família no Brasil que ia chegar só no dia seguinte e tentei descansar, sem êxito. Tive que fazer o check out do hotel às 14hs e então se iniciou uma tediosa e vagarosa espera no aeroporto de Frankfurt – mais de 8 horas! Logo antes de o voo sair ouço no autofalante que o voo estava superlotado e que eles gostariam que voluntários se oferecessem para viajar no dia seguinte, mediante uma indenização de 600 Euros e hotel com três refeições. Eu mal acreditei nos meus ouvidos. Eu não queria perder o voo novamente (apesar de a oferta ser bem atraente) e fiquei com medo de eles me tirarem do voo, já que na realidade eu teria que ter ido no dia anterior. Será que roubara o lugar de alguém? No final deu tudo certo e eu cheguei sã e salva.

Aqui anda fazendo muito frio, como era de se esperar, mas eu vim mesmo para descansar e não para tomar sol – isso vai ficar para mais tarde quando eu retornar à Europa. Estou tirando esta primeira semana para ficar em casa e depois vou começar a entrar em contato com os amigos. Passei nas provas da faculdade e já confirmei que vou mesmo estudar pedagogia em agosto. Apesar do começo repleto de contratempos, espero que minhas férias sejam tranquilas até o final.
Det er ikke bare bare (Não é tão fácil quanto parece)

Det er ikke bare bare (Não é tão fácil quanto parece)

Sábado eu estava finalmente de malas prontas para minha tão aguardada, planejada e desejada viagem ao Brasil para matar a saudade da família. O Morten não veio dessa vez por que não pode tirar férias tão longas quanto as minhas. Ele me acompanhou até o aeroporto de Trondheim e a despedida foi, claro, muito triste. Ao passar pelo controle de segurança vi no monitor da sala de espera que meu voo, marcado para às 18hs40min tinha um novo horário: 20hs! Como assim? Meu voo para o Brasil ia sair de Frankfurt às 22hs40min! Eu nunca chegaria à tempo. E foi isso mesmo que aconteceu. O voo atrasou e eu, apesar de ter tentado, perdi meu voo para São Paulo. A companhia aérea me deu então um quarto de hotel (Sheraton, chique!) e duas refeições. Avisei a família no Brasil que ia chegar só no dia seguinte e tentei descansar, sem êxito. Tive que fazer o check out do hotel às 14hs e então se iniciou uma tediosa e vagarosa espera no aeroporto de Frankfurt – mais de 8 horas! Logo antes de o voo sair ouço no autofalante que o voo estava superlotado e que eles gostariam que voluntários se oferecessem para viajar no dia seguinte, mediante uma indenização de 600 Euros e hotel com três refeições. Eu mal acreditei nos meus ouvidos. Eu não queria perder o voo novamente (apesar de a oferta ser bem atraente) e fiquei com medo de eles me tirarem do voo, já que na realidade eu teria que ter ido no dia anterior. Será que roubara o lugar de alguém? No final deu tudo certo e eu cheguei sã e salva.

Aqui anda fazendo muito frio, como era de se esperar, mas eu vim mesmo para descansar e não para tomar sol – isso vai ficar para mais tarde quando eu retornar à Europa. Estou tirando esta primeira semana para ficar em casa e depois vou começar a entrar em contato com os amigos. Passei nas provas da faculdade e já confirmei que vou mesmo estudar pedagogia em agosto. Apesar do começo repleto de contratempos, espero que minhas férias sejam tranquilas até o final.
Felizmente a vida não é só trabalho e estudo

Felizmente a vida não é só trabalho e estudo

Terminados meus exames finais, minha agenda cultural ficou bastante cheia. Quarta-feira passada, dia 8, eu, marido e sogros fomos ao teatro ver a peça Rock ‘n Roll Wolf. Trata-se de uma adaptação musical do conto O Lobo e os Sete Cabritinhos. A maquiagem dos atores impressionou, bem como a performance de todos. Eu fiquei até com vontade de ir ver mais uma vez, mas estão disputando os ingressos a tapas devido ao sucesso da peça.

Ontem, dia 16, foi a festa de verão organizada pela empresa em que meu marido trabalha. Eu dei aula até as 14.30 e minha sogra me deu uma carona até um ponto onde eu fiquei esperando o ônibus fretado onde meu marido estaria junto com seus colegas de trabalho e seus respectivos acompanhantes. Ao todo éramos 46 pessoas. Serviram uma baguete de lanche e seguimos até o município vizinho, Orkdal. O ônibus nos deixou em uma estação de trem histórica chamada Thamshavnbanen. Subimos à bordo do trem e o passeio foi maravilhoso (o dia estava ensolarado e quente). Uma meia hora depois chegamos a um lugar chamado Løkken, onde visitamos uma mina de extração de minério de ferro que abriu em 1654. Todos tiveram que usar capacete de segurança. Dois guias nos acompanharam pelas passagens e salas da mina, até que chegamos em um amplo salão que hoje funciona como palco para shows e eventos. A acústica do lugar era perfeita. Um músico local tocou 3 canções, duas com violino e uma com acordeon. Foi uma experiência emocionante estar em uma minha de mais de 300 anos ouvindo música folclórica norueguesa. Saindo da mina fomos jantar em um restaurante nas redondezas onde serviram comida típica. Foi uma noite agradável, pessoas muito interessantes e alegres e conversei muito. Foi ótimo para espairecer.

Hoje de manhãzinha meu marido fez uma cirurgia à laser para correção de miopia e astigmatismo. A meta é não precisar mais de óculos e lentes de contato. Tudo correu bem e agora é esperar e ver se ele pode mesmo largar os óculos de vez. Mais tarde eu vou a mais uma festa, desta vez o churrasco de encerramento da escola onde trabalho, que será em um restaurante aqui pertinho. Semana que vem haverá aula só na segunda-feira e quinta será o último dia. Volta às aulas só em agosto. Uma das vantagens de ser professora é que as férias são mais longas.

A vida felizmente não é só trabalho e estudo

A vida felizmente não é só trabalho e estudo

Terminados meus exames finais, minha agenda cultural ficou bastante cheia. Quarta-feira passada, dia 8, eu, marido e sogros fomos ao teatro ver a peça Rock ‘n Roll Wolf. Trata-se de uma adaptação musical do conto O Lobo e os Sete Cabritinhos. A maquiagem dos atores impressionou, bem como a performance de todos. Eu fiquei até com vontade de ir ver mais uma vez, mas estão disputando os ingressos a tapas devido ao sucesso da peça.

Ontem, dia 16, foi a festa de verão organizada pela empresa em que meu marido trabalha. Eu dei aula até as 14.30 e minha sogra me deu uma carona até um ponto onde eu fiquei esperando o ônibus fretado onde meu marido estaria junto com seus colegas de trabalho e seus respectivos acompanhantes. Ao todo éramos 46 pessoas. Serviram uma baguete de lanche e seguimos até o município vizinho, Orkdal. O ônibus nos deixou em uma estação de trem histórica chamada Thamshavnbanen. Subimos à bordo do trem e o passeio foi maravilhoso (o dia estava ensolarado e quente). Uma meia hora depois chegamos a um lugar chamado Løkken, onde visitamos uma mina de extração de minério de ferro que abriu em 1654. Todos tiveram que usar capacete de segurança. Dois guias nos acompanharam pelas passagens e salas da mina, até que chegamos em um amplo salão que hoje funciona como palco para shows e eventos. A acústica do lugar era perfeita. Um músico local tocou 3 canções, duas com violino e uma com acordeon. Foi uma experiência emocionante estar em uma mina de mais de 300 anos ouvindo música folclórica norueguesa. Saindo da mina fomos jantar em um restaurante nas redondezas onde serviram comida típica. Foi uma noite agradável, pessoas muito interessantes e alegres e conversei muito. Foi ótimo para espairecer.

Hoje de manhãzinha meu marido fez uma cirurgia à laser para correção de miopia e astigmatismo. A meta é não precisar mais de óculos e lentes de contato. Tudo correu bem e agora é esperar e ver se ele pode mesmo largar os óculos de vez. Mais tarde eu vou a mais uma festa, desta vez o churrasco de encerramento da escola onde trabalho, que será em um restaurante aqui pertinho. Semana que vem haverá aula só na segunda-feira e quinta será o último dia. Volta às aulas só em agosto. Uma das vantagens de ser professora é que as férias são mais longas.

Reencontro com o blog

Reencontro com o blog

Depois de um afastamento forçado de muitos meses volto finalmente a escrever no blog. Desde março aconteceu muita coisa, mas por falta de tempo ou de inspiração não vim aqui escrever. Em março tive que fazer o trabalho de ciências políticas e em seguida o de sociologia. Os dois foram aprovados e por isso consegui o direito de fazer os exames finais. Dia 31 de maio fiz o de sociologia e dia 7 de junho o de ciências políticas. Creio que me saí bem o suficiente para passar, mas não tenho esperança nem ambição de conseguir uma nota alta.

No trabalho levei um susto em abril/maio quando fiquei sabendo que eu havia perdido o prazo para me candidatar à vaga de professora de inglês e espanhol no próximo ano letivo. O meu chefe havia me perguntado se eu queria continuar e eu disse que sim. Pensei que com isso eu seria automaticamente recontratada. O que eu não sabia é que na Noruega há uma lei que obriga as escolas a publicar anúncios de emprego para que todos tenham as mesmas oportunidades de se candidatar. Aqui há os empregos que eles chamam «fast» (fixos) e «vikariat» (temporário). Como eu ainda não estou formada na universidade, não posso ter emprego fixo e com isso tenho que me candidatar ao emprego temporário a cada ano, até eu completar minha formação e aí sim ser contratada como «fast». Fiquei com medo de perder o emprego, mas felizmente isso não aconteceu. Esta semana recebi até convite para ser «kontaktlærer» (professora responsável por uma classe e que mantém contato com os pais dos alunos), mas recusei por que não sinto que tenho experiência suficiente para abraçar uma responsabilidade tão grande. Quando eu me formar vou pensar na possibilidade. No próximo ano letivo pode ser que eu comece a lecionar «samfunnsfag», ou matérias relacionadas à sociedade como história, geografia e educação moral e cívica. Agora restam só duas semanas e vou entrar em férias para voltar ao trabalho somente no meio de agosto.

Desta vez felizmente não estou dependendo das autoridades norueguesas para poder viajar, já que meu visto permanente está coladinho no passaporte. Por isso fizemos muitos planos e essas férias prometem. Não quero dar muitos detalhes antes, mas depois das férias vou escrever aqui tudo o que aconteceu. Nunca estive tão ansiosa para as férias chegarem. Foram meses intensivos de trabalho e estudo e eu sinto que mereço muito.

No começo de maio uma coisa muito triste aconteceu. O avô paterno do meu marido (que eu adotei como meu avô também) faleceu de repente depois de lutar contra um câncer. Ele era muito saudável, esquiava, caçava e trabalhava na sua pequena fazenda. Nunca terei um instrutor de esqui tão paciente como ele. Ele nos fascinava com suas histórias, especialmente da segunda guerra mundial (a Noruega foi ocupada pelos nazistas). Vamos sentir muitas saudades.

Há ainda mais coisas para escrever, mas vou deixar para a próxima postagem.

Reencontro com o blog

Reencontro com o blog

Depois de um afastamento forçado de muitos meses volto finalmente a escrever no blog. Desde março aconteceu muita coisa, mas por falta de tempo ou de inspiração não vim aqui escrever. Em março tive que fazer o trabalho de ciências políticas e em seguida o de sociologia. Os dois foram aprovados e por isso consegui o direito de fazer os exames finais. Dia 31 de maio fiz o de sociologia e dia 7 de junho o de ciências políticas. Creio que me saí bem o suficiente para passar, mas não tenho esperança nem ambição de conseguir uma nota alta.

No trabalho levei um susto em abril/maio quando fiquei sabendo que eu havia perdido o prazo para me candidatar à vaga de professora de inglês e espanhol no próximo ano letivo. O meu chefe havia me perguntado se eu queria continuar e eu disse que sim. Pensei que com isso eu seria automaticamente recontratada. O que eu não sabia é que na Noruega há uma lei que obriga as escolas a publicar anúncios de emprego para que todos tenham as mesmas oportunidades de se candidatar. Aqui há os empregos que eles chamam «fast» (fixos) e «vikariat» (temporário). Como eu ainda não estou formada na universidade, não posso ter emprego fixo e com isso tenho que me candidatar ao emprego temporário a cada ano, até eu completar minha formação e aí sim ser contratada como «fast». Fiquei com medo de perder o emprego, mas felizmente isso não aconteceu. Esta semana recebi até convite para ser «kontaktlærer» (professora responsável por uma classe e que mantém contato com os pais dos alunos), mas recusei por que não sinto que tenho experiência suficiente para abraçar uma responsabilidade tão grande. Quando eu me formar vou pensar na possibilidade. No próximo ano letivo pode ser que eu comece a lecionar «samfunnsfag», ou matérias relacionadas à sociedade como história, geografia e educação moral e cívica. Agora restam só duas semanas e vou entrar em férias para voltar ao trabalho somente no meio de agosto.

Desta vez felizmente não estou dependendo das autoridades norueguesas para poder viajar, já que meu visto permanente está coladinho no passaporte. Por isso fizemos muitos planos e essas férias prometem. Não quero dar muitos detalhes antes, mas depois das férias vou escrever aqui tudo o que aconteceu. Nunca estive tão ansiosa para as férias chegarem. Foram meses intensivos de trabalho e estudo e eu sinto que mereço muito.

No começo de maio uma coisa muito triste aconteceu. O avô paterno do meu marido (que eu adotei como meu avô também) faleceu de repente depois de lutar contra um câncer. Ele era muito saudável, esquiava, caçava e trabalhava na sua pequena fazenda. Nunca terei um instrutor de esqui tão paciente como ele. Ele nos fascinava com suas histórias, especialmente da segunda guerra mundial (a Noruega foi ocupada pelos nazistas). Vamos sentir muitas saudades.

Há ainda mais coisas para escrever, mas vou deixar para a próxima postagem.

Férias de inverno na cidade luz parte V (com muito atraso!)

Férias de inverno na cidade luz parte V (com muito atraso!)

Quinto dia da viagem, terça-feira 22 de fevereiro:

Nosso último dia em Paris e estávamos chateados pelo fato de a viagem estar chegando ao fim. Mas, como não podíamos fazer nada para mudar isso, tentamos aproveitar as últimas horas na cidade para visitar as catacumbas, que não conseguimos ver no domingo devido à fila extensa. Fizemos as malas, tomamos café-da-manhã e perguntamos se podíamos deixar as malas no hotel e voltar para buscá-las depois. Eles concordaram. Ao chegar nas catacumbas, mais ou menos às 8hs30min tivemos uma surpresa negativa: o local não abriria antes das 10 hs. Discutimos o que fazer: teríamos que estar no aeroporto mais ou menos às 12hs30min e antes disso teríamos que ir buscar as malas no hotel, que ficava a quase 40 minutos das catacumbas se pegássemos o metrô. Teríamos que ver as catacumbas correndo. Após pensar um pouco resolvemos deixar as catacumbas para a próxima visita a Paris e seguimos para o hotel, buscamos as malas e pegamos o trem (de dois andares!) para o aeroporto. Foi uma viagem memorável. Estou escrevendo em junho e ainda lembro de todos os detalhes. Eu sabia que conhecer Paris iria ser uma experiência especial e isso se confirmou. Ainda voltaremos para lá e vamos fazer tudo o que não pudemos fazer nesses quatro dias no meio do inverno. Paris, je t’aime!

Gothan Project com «Last Tango in Paris», uma música que traduz a cidade e me faz querer voltar para lá…