Terapia na cozinha

Terapia na cozinha

Embora eu não tenha provas na faculdade este ano (tive provas em dezembro ano passado, retrasado e o anterior), tenho muitas coisas para ler e escrever. Em fevereiro terei que entregar dois trabalhos, em março outro, mais apresentações, resumos e provas mais para frente. Hoje, ontem e anteontem tive as últimas sessões de aulas e no final de janeiro nos reuniremos de novo. Sinto que estou aprendendo muito, e o melhor de tudo é que posso aplicar toda a teoria que aprendo na faculdade no meu trabalho. Tem muita coisa que eu não sabia, mas também muita coisa que eu já fazia e os professores mencionam. Isso significa que estou fazendo uma boa parte do meu trabalho corretamente.
Em alguns dias eu estudo muito durante o dia e no final da tarde não consigo mais me concentrar na leitura. Aí eu gosto de achar alguma receita de bolo, pão ou outra coisa e tentar fazer. Domingo passado eu e o Morten fizemos os biscotinhos de pimenta (que de pimenta não têm nada) para o Natal. A massa eu fizera dois dias antes e no domingo modelamos os biscoitos e os assamos. Neste domingo vamos decorá-los com glacê e M&Ms.
Ontem foi o dia de Santa Luzia aqui.Apesar de predominantemente protestante e atéia, a Noruega preserva uma tradição originalmente sueca de celebrar o dia da santa. Na aula de ontem eu até comentei que no Brasil dizemos que essa santa protege os olhos e eles acharam muito interessante saber disso. E faz sentido aqui, pois as crianças costumam vestir roupas de anjos e fazer uma procissão com velas, para homenagear LUZia – ou Lucia como a chamam por aqui.
Bom, voltando ao papo da cozinha, ontem eu resolvi relaxar a mente de tanto livro e aula e fui tentar fazer uns pãezinhos típicos do dia de Santa Luzia, os Lussekatter. Originalmente, a receita leva açafrão. Pedi pro meu marido comprar quando voltasse para casa do trabalho, mas ele não achou. Tenho um tempero indiano bem amarelinho que não tem sabor de nada (cúrcuma, que descobri também chamar-se açafrão da terra) e usei esse mesmo. Morten veio ajudar a modelar as Lussekatter e o resultado foi esse:

Estavam muito saborosas, crocantes por fora e macias por dentro. Não são muito doces e têm uvas passas na massa. Gostamos muito do resultado. Vou deixar a receita aqui para quem quiser se aventurar:

Lussekatter (pãezinhos doces de Santa Luzia)

Ingredientes para 40 unidades (eu fiz metade da receita):

175g de manteiga ou margarina (com a escassez de manteiga por aqui usei margarina). As medidas culinárias na Noruega são em gramas, por isso ajuda muito ter uma balancinha de cozinha.
500 ml de leite
50 g de fermento biológico seco
1/2 colher de chá de sal
Quase 200 ml de açúcar (a receita diz 100 ml + 3/4 de 100 ml, ou seja, quase 200 ml)
1 grama de açafrão (ou cúrcuma)
1 ovo
100-150 ml de uvas passas
Mais ou menos 825 g de farinha de trigo
Uvas passas para decorar
1 ovo para pincelar

Modo de preparo:

Derreta a margarina ou manteiga em uma panelinha. Adicione o leite e esquente a mistura até a temperatura alcançar 40 graus celsius (eu tenho termômetro de cozinha, que ajuda muito). O fermento seco, pelo menos na Noruega, precisa de uma solução mais quente que o fermento fresco. Se usar o fermento fresco a temperatura deve ser 37 graus Celsius. Coloque o fermento em uma tigela e despeje um pouquinho da mistura de leite e manteiga. Mexa bem. Despeje o resto do leite com manteiga,o sal, o açúcar, o açafrão ou a cúrcuma, o ovo e as uvas passas. Vá adicionando farinha de trigo e sove a massa até que desgrude da tigela. Eu usei batedeira planetária com o batedor de massa. Cubra a tigela com um pano ou um saco plástico, coloque-a em um lugar aquecido (eu costumo colocar minhas massas dentro do forno desligado) e deixe-a crescer por 30 minutos.
Despeje a massa em uma bancada enfarinhada e sove mais um pouquinho, adicionando mais farinha se necessário. Divida a massa em pedaços pequenos e faça cobrinhas com os pedaços de mais ou menos 15 cm e mais ou menos com um dedo de grossura. Forme os pãezinhos em forma de caracol, tranças, etc. Nessa foto se pode aprender alguns formatos. Coloque uma ou duas uvas passas em cada pãozinho para decorar. Depois eu fiquei pensando que as passas nos pãezinhos se parecem com olhinhos, que é o que a santa protege. Coloque os pãezinhos em uma fôrma coberta com papel manteiga, cubra a fôrma com um pano e deixe os pãezinhos crescerem mais 30 minutos.
Enquanto eles crescem, pré-aqueça o forno a 250 graus Celsius. Pincele os pãezinhos com um ovo batido e leve-os para assar durante 8-10 minutos ou até eles ficarem douradinhos.
Retire-os do forno e coloque-os em uma grade para esfriar. Na grade eles ficam sequinhos e crocantes.
(Receita tirada do livro Gyldendals store kokebok)

6 Replies to “Terapia na cozinha”

  1. Oi Raquel,
    Aqui também celebramos do dia de Santa Luzia… sempre tem uma apresentação linda na igreja com as meninas cantando e andando com as velas (elétricas) nas cabeças. Lindo mesmo. 🙂
    Poxa, vou testar a sua receita… esse pãozinho ainda não comi… talvez não seja comum por aqui.
    Adorei a mudança no visual do blog!!!
    bjs

  2. O blog ficou chique no úrtimo com fota de neve e tudo! Aqui ninguém consegue me explicar essa coisa de santa Luzia,mas teve procissão no hotel – uns alunos de uma escola, bem bonitinhos. Os pãezinhos eu nunca provei, mas os seus ficaram com uma cara tão ótema! Deu vontade!

    beijo e bom final de ano

  3. Seu blog é excelente, Raquel. Sempre leio, mas nunca comentei. Hoje fiquei encantada com a receita dos pãezinhos vou fazer logo. Gostaria que você colocasse a receita dos biscoitos de pimenta e das bolinhas de conhaque, fiquei curiosa. Ótimo 2012 para você e marido.

  4. LINDOS seus paezinhos!
    Nunca ouvi ninguem falar em santo nenhum aqui na Noruega, legal saber! Engracado que eles tem mil tradicoes natalinas mas se bobear tem muito marmanjo que nem sabe porque se comemora o natal. (nao duvido nada) 😀

Legg igjen en kommentar

Din e-postadresse vil ikke bli publisert. Obligatoriske felt er merket med *