Alimentação saudável na Noruega

Alimentação saudável na Noruega

Estar de férias é ótimo por que dá tempo de navegar na internet e assistir à reportagens e documentários que tratam de outros temas além de assuntos relacionados à faculdade. Ontem, encontrei o documentário Muito além do peso no blog Pimenta no Reino. Fiquei chocada em primeiro lugar com a atual realidade das crianças brasileiras, que só comem comida industrializada! Não moro no Brasil há mais de seis anos, não tenho filhos nem crianças na minha família mais próxima, por isso não estava a par da situação. Em segundo lugar, fiquei chocada com o fato de crianças não saberem como é uma batata, um mamão, uma beterraba, um chuchu! Não vou mentir, quando eu era criança eu não gostava de verduras e legumes, mas pelo menos ia à feira com meus pais semanalmente e sabia como eram os legumes, frutas e verduras. Minha mãe fazia toda a comida em casa, sucos eram só naturais (de maracujá e de goiaba, ai que vontade!), ir a restaurantes (pouquíssimas vezes ao ano) era só em dias muito especiais. Em terceiro lugar, fiquei chocada ao saber que algumas crianças que se atrevem (!) a levar frutas de lanche para a escola têm que se trancar no banheiro para poder comê-las sem serem rotuladas como estranhas. Em quarto lugar, fiquei chocada ao ouvir uma criança dizer que aula de educação física era teórica e durava somente 15 minutos! Posso continuar com a lista de coisas chocantes que ouvi no documentário, mas paro por aqui. Na Noruega também existem crianças e adultos obesos, mas, eu não creio que as pessoas estejam tão acomodadas com a situação como no Brasil. Pelo menos essa é a impressão que eu tenho ao ver o documentário.
Trabalho diretamente com crianças e adolescentes aqui na Noruega, e o que eu observo no meu ambiente de trabalho com relação à alimentação saudável e prática de esportes é que:
1. A escola (pública) dá frutas aos alunos gratuitamente todo dia, às 10 horas, depois da primeira aula. Os alunos entram na classe depois do recreio já pedindo as frutas, e quando eu chego com a cesta, eles avançam. As frutas mais comuns que vêm na cesta são banana, maçã, pera, laranja, mexerica, kiwi, ameixa e frequentemente eles mandam também cenourinhas. Como sempre há sobras, eu e os outros professores acabamos ganhando frutas diariamente, então eu como no mínimo uma ou duas frutas por dia, grátis.
2. A maioria das escolas públicas norueguesas não fornece merenda gratuita, então os alunos trazem seu próprio lanche. Eu fico com eles na hora do lanche duas vezes por semana, e observo que nenhum, absolutamente nenhum aluno leva lanche industrializado para a escola. O que mais se vê nas lancheiras são fatias de pão integral com frios (presunto, queijo branco, queijo marrom, salame, patê de fígado). Algumas meninas levam saladas que elas mesmo fazem. Os alunos que desejam podem pedir um frasco (200ml) de leite integral, ou leite achocolatado ou suco de laranja ou God Morgen, iogurte de baunilha com cereais) diariamente. Os pais têm que pagar. Não são muitos os que pedem.
3. O consumo de refrigerante, chocolate e outras guloseimas não é popular entre os alunos nos dias normais de aula. Quando há provas que duram o dia inteiro, eles pedem permissão aos professores para trazer essas iguarias.
4. Os alunos da nona série têm aulas de economia doméstica toda semana durante 2 horas e meia. Lá, eles aprendem sobre alimentação saudável, e fazem comida em grupos.
5. Há aulas de educação física duas vezes por semana, 60 minutos cada vez. Além disso, há pelo menos quatro dias ao ano em que os alunos fazem passeios de un dia inteiro para esquiar, acampar, nadar, etc. A maioria dos alunos participa de algum tipo de agremiação esportiva e treinam em seu tempo livre. Tenho alunos que jogam futebol, outros jogam handebol, outros jogam badminton, outros esquiam e tenho até um aluno que é ginasta olímpico.
6. Há um lema bastante difundido por aqui: Fem om dagen (cinco por dia). Quer dizer que todos devem comer cinco porções de frutas, legumes e verduras por dia. Peixe deve ser consumido ao menos duas vezes por semana (ponto para mim, ontem fiz sopa de peixe pro jantar).
7. É expressamente proibido fazer comerciais de TV dirigidos a crianças. Eu nunca vejo comercial de brinquedo, por exemplo. McDonald’s e Burger King fazem comerciais, mas sem citar brinquedinhos que vêm com lanches ou algo do tipo. Também é proibido fazer comercial de bebidas alcóolicas e com apelação sexual (ou seja, as cervejas do Brasil estariam falidas aqui). Agora, um coisa que eu detesto aqui são os comerciais de cassinos e jogos de azar pela internet (deveriam ser proibidos também!)

11 Replies to “Alimentação saudável na Noruega”

  1. Eu ate vi esse documentario sendo compartilhado no facebook mas não me despertou interesse, agora que você mencionou detalhes do documentario quero assisti-lo. Aqui mais pro sul da Noruega eh assim tambem, nas escolas.
    No meu trabalho temos frutas, chegam três vezes na semana, uma boa entrega. No almoco bastante salada, pães integrais e um pão branco e frios, mas tem salmão defumado ou assado quase todos os dias, sardinha, atum.

    Beijo

  2. Oi Raquel!!

    Tudo bem? Tenho acompanhado há um tempinho o teu blog e to achando o máximo! Adoro os teus textos! To me inspirando aqui com as tuas experiências, mas tenho tantas dúvidas… Tenho um namorado de Bergen e estou indo pra lá em abril, de mala e cuia! hehe Mas fico com receio na questão de achar emprego. Sou gaúcha de Porto Alegre. Publicitária recém formada em Lisboa. Tenho 23 anos e falo várias línguas, mas morro de medo de não achar um job. Sei que conseguir algo na área é bem difícil. Claro que vou ter que me virar nos 30 com outros trabalhos que não sejam relacionados com a minha profissão, mas não me importo nem um pouco. O grande problema é começar. Como foi pra ti? Fácil? Difícil? Tu tá super bem, de professora né? Bacana. To tão perdida, se tu pudesse me ajudar, eu agradeceria muito!
    Um beijo da chará

    Raquel Steffler

  3. Oi Raquel!
    Impressionante o documentário. claro que documentários retratam apenas uma faceta da verdade, todavia assustadora.
    No interior ainda é mais leve, não temos Mc Donald`s, as feiras livres acontecem cinco vezes na semana, em bairros diversos.
    As frutas aqui custam muito barato e são variadíssimas; as mangueiras derramaram manga gratuita por toda parte, agora as goiabas estão em qualquer barranco; limões “cavalo”, se perdem pelos pastos.
    Eu liquidifico, congelo as polpas e tenho suco natural por muito tempo. Agora estamos iniciando a longa safra de abacates, há muitos abacateiros perdidos pelos cafezais, à beira de estradinhas de terra batida.
    Abraços caipiras.

  4. Prezada Raquel.
    Gostaria de obter algumas informações sobre a vida ai na Noruega, sobre imigração de brasileiros, língua, etc. Sou servidor da justiça em Porto Alegre e estou pensando seriamente em mudar de pais e, pelo que andei vendo, a Noruega pareceu uma ótima opção. Se pudesses me contatar por e-mail, agradeceria muito. Meu e-mail é rafaelgs@tj.rs.gov.br.
    Forte abraço.

  5. Me desculpe mas assim que comecei a ver esse documentario, parei no momento em que o menino se joga no chao e faz manha porque nao lhe dao de comer o que ele pede. No meu conceito, falta muita coisa alem de legume e fruta na criacao desse menino. O problema ai, vai alem do cardapio. Nao tomem como exemplo ( estando fora do pais) esse tipo de comportamento e levem em conta tambem que a Noruega tem 4.7 milhoes de habitantes e o Brasil tem 193 milhoes e tao extensa quanto a populacao e a area eh a tamanha falta de vontade e de carater politicos. A cidade que eu moro, tem mais habitantes que a Noruega. Temos por aqui problemas muito maiores que frutas e legumes para resolver, os professores mal remunerados e a pessima educacao publica tem outros “pepinos” tambem.. O estado tem que fazer seu papel, mas educacao comeca em casa. As pessoas nao podem delegar somente ao estado a responsabilidade de educar e alimentar corretamente. Temos outros grandes problemas que tambem estao tambem na base da escala da sobrevivencia, antes disso….

  6. Oi Luciana!

    Eu detestava peixe e frutos do mar, fui aprender a comer aqui. Hoje adoro rakfisk, lutefisk, bacalhau, makrell…só não gosto muito de salmão defumado. Legal ver que você postou o vídeo o teu blog também. Beijo!

  7. Eu recomendo que você leia as postagens mais antigas do blog se tiver um tempinho de sobra. É difícil, sim, mas a diferença, na minha opinião, é que aqui você consegue alcançar seus objetivos se se dedicar, o governo apóia de muitas maneiras. Boa sorte!

  8. Manga brasileira tem para vender aqui, mas nas duas vezes que comprei elas estavam muito verdes, e não amadurecem como no Brasil, macias e suculentas. Que saudade de manga! O abacate que vendem aqui é minúsculo e se usa só para fazer guacamole. Lembro que minha mãe fazia musse de abacate no liquidificador, que saudade…Abraços para você também!

  9. Concordo plenamente, como professora posso dizer que educação é tudo! A Noruega não tem um dos melhores sistemas educacionais do mundo (a Finlândia dizem que tem o melhor), mas mesmo assim, todo mundo é obrigado a frequentar a escola até os 16 anos. E, é verdade, em um país como a Noruega é bem mais fácil de governar por causa do tamanho e da população. Obrigada pelo comentário!

  10. Quem sabe meus netos poderao desfrutar de um pais melhor por aqui.. vamos aguardar.. Atraves deste post, pude conhecer o seu blog, Parabens por ele ! Abracos 🙂

Legg igjen en kommentar

Din e-postadresse vil ikke bli publisert. Obligatoriske felt er merket med *