A Copa por aqui

A Copa por aqui

Faz 12 dias que a Copa do Mundo começou no Brasil e, como era de se esperar, os olhos da maioria dos noruegueses estão voltados para lá. Documentários, reportagens de TV, jornais e internet sobre o Brasil vêm sendo exibidos/publicados quase que diariamente. Gostei do que vi até agora, parece que os noruegueses estão aos poucos se desfazendo dos preconceitos e estereótipos e mostrando o país mais próximo de sua realidade. Uma crônica que gostei de ler foi esta, chamada “Dez Mentiras sobre o Brasil” e escrita por um norueguês que escreveu um livro sobre o país recém-lançado por aqui. Não vou traduzir a crônica inteira, mas posso listar as tais 10 mentiras sobre as quais o autor escreve:

1. O Brasil foi descoberto por Portugal.
2. O Rio é a capital do Brasil.
3. Todos amam futebol no Brasil.
4. Brasil é samba, futebol e carnaval.
5. As diferenças entre pobres e ricos aumentam no Brasil (não sei se concordo, por que não foi bem isso que eu observei durante a minha última longa estadia no país).
6. Não existe racismo no Brasil.
7. O Brasil é muito mais pacífico do que o resto da América do Sul.
8. Os brasileiros são alegres e sociáveis.
9. O motivo dos recentes protestos no Brasil é a Copa.
10. O Brasil pode ser resumido em 10 ítens.

Estou finalmente de férias e tenho pela frente um mês e meio para fazer o que eu quiser. Ontem fiz uma viagem relâmpago até Kristiansund com meu marido, que esteve lá à trabalho. Não tenho planos concretos de viagens e passeios, vamos ver o que aparece. Quero usar esse tempo para, entre outras coisas, organizar a casa, ler muito, estudar francês e fazer trabalhos manuais.

Semana passada participei da festa de encerramento dos alunos da décima série, que deixam a escola para iniciarem o ensino médio em agosto. A cerimônia foi muito bonita e emocionante, ao final muitos alunos vieram se despedir de mim com palavras muito bonitas de agradecimento e elogios.

Amanhã sai o resultado da votação dos membros do sindicato de professores sobre o acordo firmado há algumas semanas. Se a maioria votar por manter o acordo, vamos ter que aceitar o regime de horas obrigatórias no local de trabalho, mas somente se o diretor da escola nos oferecer escritórios mais apropriados.

Ainda falando em escola, na semana passada o príncipe da Noruega anunciou que vai matricular seus dois filhos em uma escola particular. Isto foi recebido como um escândalo, pois a família real norueguesa sempre manteve a tradição de levar um estilo de vida o mais parecido possível com o de um norueguês comum. Escolas particulares são raras por aqui e para abrir uma é necessário cumprir muitas exigências. Isto para evitar que as diferenças sociais entre os cidadãos aumentem por causa do poder aquisitivo. Ontem escutei no rádio sobre uma vez em que o antigo primeiro ministro da Noruega visitou um chalé nas montanhas administrado por uma associação de turistas noruegueses. Como ele chegou de surpresa sem reservar um leito, não houve outra solução: ele acabou tendo que dormir no chão. Ou seja, aquela mentalidade do “Você sabe com quem está falando?”, não surte efeito por aqui. E isso é bom, na minha opinião.

4 Replies to “A Copa por aqui”

  1. Tenha excelentes férias, Raquel! Mesmo passando em casa, é tão bom! Um lanchinho com as amigas… Pequenos passeios nas redondezas, como Kristiansund, merecem fotos, viu?
    Interessante a lista, desfaz crenças. Meu Brasil caboclo aqui do interior também não sai na mídia. Aliás, fico imaginando as fazendas daí… que carboidrato plantavam antes das batatas?

    Eu fiz o “ginásio” na cidadezinha aqui ao lado (década de 70), onde só havia uma escola. Lá se misturavam todos, sem opção de escolha. Para nós, pré-adolescentes, parecia normal. Aqui, há certas escolas públicas favoritas e outras que os pais abominam: pelo bairro (clientela), pela tradição.

    Até logo mais.

  2. Oiee adorei seu blog.
    Me responda por favor: Pq o rei vai matricular os filhos na escola particular além de diferenças no ensino , o que mais provocou essa decisão?
    Bjs!!!

  3. Oi, Cristina!
    Tiro muitas fotos e costumo postar no meu Instagram, mas acabo esquecendo de postar no blog também. Vou tentar postar mais fotos.
    Sobre o produto que plantavam antes das batatas…excelente pergunta, vou pesquisar um pouco e depois te respondo.
    Seria uma pena se o mesmo que acontece no Brasil acontecesse na Noruega. Há menos desigualdades sociais quando os alunos frequentam uma escola padrão. Há os do contra que digam que isso é comunismo, mas eu particularmente acho bom. Até breve!

  4. O príncipe disse que vai matricular os filhos em escola particular por que os filhos precisam aprender inglês a um nível mais elevado. A filha dele será a futura rainha e a família real está sempre viajando pelo mundo, por isso a necessidade de falar bem inglês. Obrigada pela visita, beijos!

Legg igjen en kommentar

Din e-postadresse vil ikke bli publisert. Obligatoriske felt er merket med *