Kategori: alimentação saudável

Série comida na Noruega episódio 1

Série comida na Noruega episódio 1

Ao passar meses no Brasil e conversar com muitos amigos, respondemos aos mais variados tipos de perguntas sobre a Noruega. Algumas perguntas muito recorrentes eram relacionadas à alimentação. Percebi então que havia dado pouca atenção à comida que se come no dia-a-dia aqui no blog. Por isso resolvi iniciar uma série de postagens sobre comida na Noruega. O primeiro episódio é: o café-da-manhã.

Cortei definitivamente o pão da minha alimentação, pelo menos o pão tradicional. De vez em quando como pão integral e muito pouco. Padarias que abrem de madrugada e vendem pão quente à toda hora são praticamente inexistentes por essas bandas. A maior parte da população compra pão no supermercado, que é produzido com muitas horas de antecedência. Eu como o knekkebrød de segunda à sexta, no mínimo. Uma possível tradução é pão quebradiço. Ele parece mais uma bolacha salgada para nós brasileiros do que um pão:

O meu knekkebrød favorito é 67% integral e tem 24% de fibras
O knekkebrød favorito do meu marido é 100% integral e contém 15% de fibras 

Knekkebrød  fora da embalagem

Típicos frios e produtos para passar no pão aqui são: presunto cozido (kokt skinke), presunto curado (spekeskinke), salame, patê de fígado (leverpostei) queijo branco (hvitost), queijo marrom (brunost – este queijo merece uma postagem especial em outra ocasião), Nugatti, Nutella, Hapå (produtos à base de chocolate e/ou nozes), geleia (syltetøy) de morango (jordbær), framboesa (bringebær), mirtilo (blåbær) e um tipo de amora diferente da brasileira (tyttebær). Desde que voltei do Brasil eu passei a comer uma iguaria que talvez choque alguns:

Apresento-lhes o makrell i tomat em sua embalagem…
… e após aberto

A embalgem revela o que é: peixe! Trata-se de um parente próximo da cavalinha que se encontra no Brasil, segundo as minhas pesquisas. O peixe é limpo e curtido em molho de tomate. Eu nunca pensei que um dia acabaria comendo peixe no café-da-manhã, mas hoje em dia não vivo sem. Na embalagem está escrito que Uma fatia de pão com o makrell cobre a dose diária recomendada de Ômega 3. Esta substância é recomendada por que, entre outros benefícios, ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim do corpo. Eu como uma fatia de knekkebrød com o makrell por dia no café:

À esquerda na foto vemos o pão com peixe e à direita, knekkebrød com queijo cottage e geleia de framboesa. Geralmente eu como as duas fatias com peixe, mas quando tenho vontade de comer algo mais doce eu vou de geleia. O peixe vem em uma lata, e para guardar a lata na geladeira, encontrei uma tampa de plástico extremamente prática:

Para beber, água ou groselha. Somente quando chego ao trabalho, cerca de 2 horas depois, eu tomo uma merecida xícara de café preto. Ainda não me acostumei ao café amargo, embora saiba que preciso cortar o adoçante.

No próximo episódio, o almoço.

Alimentação saudável na Noruega

Alimentação saudável na Noruega

Estar de férias é ótimo por que dá tempo de navegar na internet e assistir à reportagens e documentários que tratam de outros temas além de assuntos relacionados à faculdade. Ontem, encontrei o documentário Muito além do peso no blog Pimenta no Reino. Fiquei chocada em primeiro lugar com a atual realidade das crianças brasileiras, que só comem comida industrializada! Não moro no Brasil há mais de seis anos, não tenho filhos nem crianças na minha família mais próxima, por isso não estava a par da situação. Em segundo lugar, fiquei chocada com o fato de crianças não saberem como é uma batata, um mamão, uma beterraba, um chuchu! Não vou mentir, quando eu era criança eu não gostava de verduras e legumes, mas pelo menos ia à feira com meus pais semanalmente e sabia como eram os legumes, frutas e verduras. Minha mãe fazia toda a comida em casa, sucos eram só naturais (de maracujá e de goiaba, ai que vontade!), ir a restaurantes (pouquíssimas vezes ao ano) era só em dias muito especiais. Em terceiro lugar, fiquei chocada ao saber que algumas crianças que se atrevem (!) a levar frutas de lanche para a escola têm que se trancar no banheiro para poder comê-las sem serem rotuladas como estranhas. Em quarto lugar, fiquei chocada ao ouvir uma criança dizer que aula de educação física era teórica e durava somente 15 minutos! Posso continuar com a lista de coisas chocantes que ouvi no documentário, mas paro por aqui. Na Noruega também existem crianças e adultos obesos, mas, eu não creio que as pessoas estejam tão acomodadas com a situação como no Brasil. Pelo menos essa é a impressão que eu tenho ao ver o documentário.
Trabalho diretamente com crianças e adolescentes aqui na Noruega, e o que eu observo no meu ambiente de trabalho com relação à alimentação saudável e prática de esportes é que:
1. A escola (pública) dá frutas aos alunos gratuitamente todo dia, às 10 horas, depois da primeira aula. Os alunos entram na classe depois do recreio já pedindo as frutas, e quando eu chego com a cesta, eles avançam. As frutas mais comuns que vêm na cesta são banana, maçã, pera, laranja, mexerica, kiwi, ameixa e frequentemente eles mandam também cenourinhas. Como sempre há sobras, eu e os outros professores acabamos ganhando frutas diariamente, então eu como no mínimo uma ou duas frutas por dia, grátis.
2. A maioria das escolas públicas norueguesas não fornece merenda gratuita, então os alunos trazem seu próprio lanche. Eu fico com eles na hora do lanche duas vezes por semana, e observo que nenhum, absolutamente nenhum aluno leva lanche industrializado para a escola. O que mais se vê nas lancheiras são fatias de pão integral com frios (presunto, queijo branco, queijo marrom, salame, patê de fígado). Algumas meninas levam saladas que elas mesmo fazem. Os alunos que desejam podem pedir um frasco (200ml) de leite integral, ou leite achocolatado ou suco de laranja ou God Morgen, iogurte de baunilha com cereais) diariamente. Os pais têm que pagar. Não são muitos os que pedem.
3. O consumo de refrigerante, chocolate e outras guloseimas não é popular entre os alunos nos dias normais de aula. Quando há provas que duram o dia inteiro, eles pedem permissão aos professores para trazer essas iguarias.
4. Os alunos da nona série têm aulas de economia doméstica toda semana durante 2 horas e meia. Lá, eles aprendem sobre alimentação saudável, e fazem comida em grupos.
5. Há aulas de educação física duas vezes por semana, 60 minutos cada vez. Além disso, há pelo menos quatro dias ao ano em que os alunos fazem passeios de un dia inteiro para esquiar, acampar, nadar, etc. A maioria dos alunos participa de algum tipo de agremiação esportiva e treinam em seu tempo livre. Tenho alunos que jogam futebol, outros jogam handebol, outros jogam badminton, outros esquiam e tenho até um aluno que é ginasta olímpico.
6. Há um lema bastante difundido por aqui: Fem om dagen (cinco por dia). Quer dizer que todos devem comer cinco porções de frutas, legumes e verduras por dia. Peixe deve ser consumido ao menos duas vezes por semana (ponto para mim, ontem fiz sopa de peixe pro jantar).
7. É expressamente proibido fazer comerciais de TV dirigidos a crianças. Eu nunca vejo comercial de brinquedo, por exemplo. McDonald’s e Burger King fazem comerciais, mas sem citar brinquedinhos que vêm com lanches ou algo do tipo. Também é proibido fazer comercial de bebidas alcóolicas e com apelação sexual (ou seja, as cervejas do Brasil estariam falidas aqui). Agora, um coisa que eu detesto aqui são os comerciais de cassinos e jogos de azar pela internet (deveriam ser proibidos também!)