Kategori: Amigos

Update do verão 2017 parte 2

Update do verão 2017 parte 2

Esta é a primeira postagem no meu novo endereço. Agora vou poder postar vídeos e qualquer outro conteúdo extra sem ter que me preocupar com limites ou taxas.

Minhas férias de verão neste ano estão chegando ao final. A princípio pensei que estas férias não seriam tão interessantes, mas me equivoquei. Com a compra da nossa casa de verão, viajei mais do que o esperado. Os principais acontecimentos desde a última atualização foram:

  1. Recebemos nossos sogros aqui na casa de verão (escrevo ‘aqui’ por que estou na casa neste momento!). Eles adoraram e o tempo estava maravilhoso.
  2. Viajei para Bergen para encontrar com amigos do Brasil. Infelizmente eles não puderam vir até Trondheim, então eu fui até eles. Muito emocionante e divertido.
  3. Meus sogros completaram 60 anos de idade este ano, e, para comemorar, financiaram uma viagem a Croácia para os filhos, noras e netos. Na próxima postagem escreverei detalhes desta viagem.
  4. Vim para a casa de verão um dia depois de voltar da Croácia. Morten está trabalhando e vem amanhã. Vim de ônibus, aliás, uma viagem bem comfortável. Quem acompanha o Instagram deve ter visto momentos da viagem no Instastories.
Férias de inverno (ainda bem!)

Férias de inverno (ainda bem!)

Molheira do jogo de jantar que encontramos em Oslo

Estou de férias de inverno (uma semana) e estou aproveitando para escrever meus trabalhos. Tenho um  para entregar em uma semana e outro para entregar em 30 dias. No meio de março terei três provas. Este mês que está chegando vai ser muito corrido, mas felizmente quando as férias de Páscoa chegarem (mais uma semana de folga), vou poder relaxar para valer e ainda por cima vou viajar com o marido!

Mas, não estou enterrada em livros o tempo todo. No final de semana passado demos uma fugida até Oslo. Primeiro fui à embaixada para transferir meu título de eleitor do Brasil para Oslo. Dei entrada no processo e agora terei que esperar 6 meses e ainda por cima terei que ir pessoalmente até lá retirar meu título novo! Quanta burocracia! Depois passeamos, vimos um musical chamado «Sonny» na Ópera de Oslo, visitamos as ruínas depois do ataque terrorista de julho de 2011, conhecemos a Catedral de Oslo e visitamos amigos. Até encontramos um jogo de jantar completo e seminovo em um brechó. Eu e o Morten adoramos visitar antiquários e brechós, e em Oslo não poderia ser diferente. Cheguei em casa muito resfriada e não estou trabalhando tanto com os estudos na semana de férias como eu havia planejado, mas quando eu escuto colegas dizerem que nem começaram a ler os livros para a prova ou nem começaram a escrever os trabalhos, eu paro de estressar. Cada vez mais percebo que fazer as coisas direito não compensa muito não. Mas, isso fica para uma próxima postagem.
Terminei meu estágio de espanhol e agora restam somente 30 horas de inglês, que vou fazer no segundo semestre. Comecei a dar aulas de religião para substituir um professor e também comecei a dar aulas de espanhol para dois meninos com família chilena na escola primária, que fica do lado da escola onde eu trabalho. De 50% passei a trabalhar quase 70%. Aqui na Noruega, a maioria dos empregos têm o horário bem flexível. Caso a pessoa não queira ou não possa trabalhar 100% (das 8 às 16hs), pode-se negociar dias mais curtos ou dias livres na semana. Assim, o salário é calculado pelas horas que se trabalha por semana. Minha meta quando eu terminar os estudos é aumentar meu posto até 100% e trabalhar de segunda a sexta das 8 às 16. Mas, por enquanto os 70% são mais do que suficientes. O bom disso tudo é ver que quando menos se espera chove um trabalhinho aqui e outro ali. Isso me motiva ainda mais para concluir a faculdade. Estudar compensa, mas que dá trabalho, isso dá!
Um encontro inusitado

Um encontro inusitado

Hoje aconteceu uma coisa no mínimo extraordinária. Lá vinha eu andando de volta para casa, em um frio de 8 graus negativos, quando um homem e uma moça se aproximaram. O homem me perguntou se eu sabia onde havia uma loja de brinquedos nas redondezas. Enquanto eu pensava na resposta, a moça me diz, pronunciando meu nome como só os brasileiros o fariam: «RAQUEL???» Eu então olho para a moça e reconheço-a imediatemente: «Camila???» Hahaha…e não é que era a Camila que mora em Bodø? Demos muitas risadas e ela então me explicou que estava em visita relâmpago a Trondheim por conta do seu trabalho. Contamos para seu colega (o que me perguntou da loja de brinquedos) a coincidência e ele ficou estupefato também. Uma pena que foi um encontro tão rápido. Mas, que surpresa agradável! 😀 Foi a primeira vez que encontrei (por acaso) uma brasileira que mora na Noruega e escreve um blog. Camila, quando passar em Trondheim novamente, me avisa!

Tudo ao mesmo tempo agora

Tudo ao mesmo tempo agora

Já virou redundância escrever em cada postagem que minha vida está corrida. E está mesmo. Especialmente agora, meio de semestre com trabalhos para entregar, provas para corrigir, mais e mais coisas acumuladas para estudar. Hoje, por exemplo, vou terminar de escrever a versão final do meu trabalho de história (tenho que comparar o processo de formação dos estados-nação na Alemanha e na Noruega) e semana passada quebrei a cabeça para resolver o primeiro trabalho de sócio-economia. Aliás, esta matéria está entalada na minha garganta – não entendi bem por que estudar economia num curso para pessoas que vão lecionar estudos sociais na escola primária. História tem tudo a ver, mas sócio-economia, com cálculos de PIB, custos marginais a longo prazo, etc… não sei não. Geografia que é bem mais pertinente nem sinal.

Semana retrasada fomos ao casamento de uns amigos em Oslo. Chegamos na cidade na sexta-feria de manhã e aproveitamos para ir à embaixada para renovar meu passaporte. Me atenderam rapidamente e muito bem (apesar do legendário senhor asiático ainda estar trabalhando lá – sem ainda ter aprendido português!) e saí de lá com meu novo passaporte em mãos:


Saindo de lá demos um passeio a pé por Oslo e passamos em frente ao Instituto Nobel da Noruega – onde exatamente naquele dia anunciaram o vencedor do prêmio deste ano (o chinês Liu Xiaobo).


As várias unidades móveis de emissoras de TV presentes no local não me deixam mentir:


No sábado, dia do casamento, tivemos tempo de nos arrumar e chegar até a igreja. Eu achei um penteado fácil e bonito no You Tube com a ajuda desta moça aqui. Meu marido foi padrinho e teve que fazer discurso (aqui os casamentos costumam ter muitos discursos). Foi um final de semana diferente e especial. E tiraram uma foto nossa que eu amei:


Esta semana na escola onde trabalho tive uma missão diferente. É que todo ano acontece um evento chamado Operasjon Dagsverk (Um dia de trabalho). Trata-se de um dia em que os alunos de 13 a 16 anos de todas as escolas da Noruega não vão à escola e tem que fazer algum tipo de trabalho remunerado (na empresa dos pais, limpar a casa, vender algo) e conseguir uma quantia mínima (cerca de 200 coroas, mais ou menos 70 reais por aluno) que será doada para financiar projetos de ajuda em um país escolhido. E este ano o país escolhido para receber esta ajuda é o Brasil. Mais precisamente projetos educativos, esportivos e artísticos que ajudam a manter crianças que residem em favelas longe do narcotráfico. Inclusive o nome da campanha é Uma cidade, dois mundos. E eu fui convidada para dar palestras para os alunos sobre o Brasil, as favelas e a situação dos jovens que vivem ali. Foi uma grande responsabilidade para mim, me preparei e acho que consegui transmitir boas informações. Incrível como os alunos perguntam tantas coisas interessantes e expressam interesse em ajudar. Este é o cartaz da ação deste ano:

A Operasjon Dagsverk vai ser nesta próxima quinta-feira. Até comida brasileira vai ter (eu que dei a receita). Assim que possível eu posto mais novidades. Agora eu tenho que voltar pro meu trabalho de história…

Está quase acabando!

Está quase acabando!

Há três dias da minha última prova na faculdade, 10 dias do meu último dia de trabalho em Frøya e dois meses da minha viagem ao Brasil (se meu visto sair a tempo – eu e meu marido estamos trabalhando no caso) arrumei um tempinho para dar uma passadinha aqui e escrever as últimas novidades. A maior delas é que já tenho garantido um emprego para depois das férias! 😀 Estive em uma entrevista um tempinho atrás e há algumas semanas recebi a resposta, vou dar aula de espanhol em uma escola não muito longe daqui, isto é, chega de viagens de barco e pernoites longe de casa. O emprego não é período integral e isso é ótimo, pois assim vou poder me dedicar à minha nova empreitada no mundo acadêmico: vou estudar ciências sociais, um ano, para poder dar aula de «samfunnsfag» (história, geografia, educação moral e cívica, etc.). Assim vou estar apta para lecionar três disciplinas, e isso aumenta as chances de empregos de período integral.

Semana passada fui a Frøya fazer proval oral de inglês junto com uma professora de outra escola, que foi a «sensor» (tipo uma juíza, ou uma pessoa neutra que discute a nota de cada aluno com a professora). Estava nervosa por causa da responsabilidade, mas no final deu tudo certo e eu aprendi como funciona esse processo de provas orais.

Há mais algumas semanas atrás ainda eu e o Morten fomos jantar com uma colega de faculdade minha que morou no Brasil por três anos e lá conheceu seu marido, ninguém mais ninguém menos que o primo do sobrinho de uma amigona que eu tenho no Brasil! O mundo é ou não é pequeno? Nós ficamos sabendo da tremenda coincidência quando ela me disse que o marido era de Brodósqui e quando eles estiveram lá ouviram falar de outra brasileira que tinha ido de mala e cuia para Frøya – só podia ter sido eu, pois estive em Brodósqui algumas vezes antes de vir pra cá.

A Copa está pra começar e a Noruega infelizmente não vai participar. Domingo passado o canal estatal daqui transmitiu o célebre jogo da copa de 1998 entre Noruega e Brasil, em que a Noruega ganhou. Detalhe, eles passaram o jogo na íntegra! Cada vez mais eu percebo como isso foi um acontecimento enorme para eles.

O Eurovision Song Contest em que a Noruega foi anfitriã foi um espetáculo excelente na minha opinião. Bem mais simples que a festa do ano passado realizada na Rússia, mas de maneira nenhuma menos especial. Uma falha da segurança permitiu que um espanhol torcedor do Barcelona (chamado de ‘culé’, aprendi na facul) invadisse o palco quando o Daniel Diges cantava a música da Espanha. A Espanha teve então direito de se apresentar de novo. A Alemanha acabou ganhando merecidamente, como eu suspeitava. Agora, o espetáculo maior foi o número de dança (inspirado no vídeo ‘Where the hell is Matt?‘) que uniu o público de quase todos os países europeus, as princesas da Noruega e até um solitário norueguês no meio do Mar do Norte. Aqui está o vídeo:

Deve haver mais um monte de pequenas novidades pairando por aí, mas quem disse que eu lembro? Agora tenho que voltar para as gramáticas, pragmáticas e análises sintáticas espanholas.