Kategori: comida na Noruega

Série comida na Noruega episódio 2

Série comida na Noruega episódio 2

Geladeira da escola

O conceito de almoço na Noruega não lembra nada o conceito brasileiro da palavra. Enquanto no Brasil come-se quase sempre um prato quente, frequentemente composto de arroz, feijão ou massa, uma carne e uma salada, aqui o almoço é praticamente uma repetição do café-da-manhã. Mas, como eu não gosto de generalizar, posso dizer que muita gente farta da mesmice gosta de variar por aqui. Por exemplo, ao abrir a geladeira da cozinha dos professores vemos manteiga, queijos, geleia, muito iogurte, frios, ovos, etc. Os embrulhinhos brancos que vemos na última prateleira são os famosos matpakker, sobre os quais escrevi nesta postagem aqui. A minha conclusão é de que no meu local de trabalho a maioria continua fiel ao matpakke, mas às vezes vejo gente requentando restos do jantar no forno de microondas. Hoje mesmo uma colega sueca estava degustando sopa de salmão. Como não há supermercados muito perto da escola, temos que levar nossa comida de casa para não passar fome. Mas, frutas sempre há.

Cenouras e maçãs

 O que eu geralmente costumo comer de almoço é knekkebrød com alguma coisa, por exemplo, queijo cremoso com kani, patê de atum, geleia. Levo também um iogurte para os dias mais longos quando tenho reunião, duas vezes por semana. Mas, ao voltar para casa fico com aquela sensação de que não me alimentei o suficiente para aguentar até o jantar. 

Um de meus almoços no trabalho
Cupcakes

Algo que vejo tanto como bom e não tão bom é que os alunos de economia doméstica frequentemente levam os pratos que preparam para a sala dos professores. Algumas coisas são saudáveis, mas a maioria não. Alguns exemplos:

Comida típica da Lapônia feita pelos alunos de economia doméstica



Nos finais de semana eu não tolero a mesma comida que almoço quando estou no trabalho. Gosto de fazer outras coisas, como mingau, ovos, salmão, etc.

Bolo comprado pelo diretor para comemorar um acontecimento


Quanto ao horário de almoço, eu tenho somente 15 minutos, geralmente entre 11hs30 min e 11hs45min. Todos os professores têm que trabalhar como inspetores durante o recreio quase todos os dias, então sobra muito pouco tempo para almoçar com calma. Temos uma sala para almoçar, mas quando tenho que trabalhar durante o horário de almoço tenho que levar o almoço para o escritório. Às sextas-feiras há a tradicional rifa de vinhos. Compramos números da rifa à 5 coroas cada e pouco antes do meio-dia sorteiam geralmente duas garrafas de vinho, um tinto e um branco.

O aspik é muito popular
na época de Natal

Um prato bem diferente que eu fiz para o meu marido levar de almoço é o aspik, também conhecido como Cabaret. Trata-se de uma salada composta de peixe, camarões, legumes e ovos cozidos que se coloca em uma forma de pudim, para no final cobrir com gelatina com sabor de caldo de carne ou legumes e levar para gelar. Como eu não gosto de aspik (gelatina salgada para mim não dá), o marido teve que comer o prato sozinho durante muitas semanas, e acabou, claro, enjoando.

Série comida na Noruega episódio 1

Série comida na Noruega episódio 1

Ao passar meses no Brasil e conversar com muitos amigos, respondemos aos mais variados tipos de perguntas sobre a Noruega. Algumas perguntas muito recorrentes eram relacionadas à alimentação. Percebi então que havia dado pouca atenção à comida que se come no dia-a-dia aqui no blog. Por isso resolvi iniciar uma série de postagens sobre comida na Noruega. O primeiro episódio é: o café-da-manhã.

Cortei definitivamente o pão da minha alimentação, pelo menos o pão tradicional. De vez em quando como pão integral e muito pouco. Padarias que abrem de madrugada e vendem pão quente à toda hora são praticamente inexistentes por essas bandas. A maior parte da população compra pão no supermercado, que é produzido com muitas horas de antecedência. Eu como o knekkebrød de segunda à sexta, no mínimo. Uma possível tradução é pão quebradiço. Ele parece mais uma bolacha salgada para nós brasileiros do que um pão:

O meu knekkebrød favorito é 67% integral e tem 24% de fibras
O knekkebrød favorito do meu marido é 100% integral e contém 15% de fibras 

Knekkebrød  fora da embalagem

Típicos frios e produtos para passar no pão aqui são: presunto cozido (kokt skinke), presunto curado (spekeskinke), salame, patê de fígado (leverpostei) queijo branco (hvitost), queijo marrom (brunost – este queijo merece uma postagem especial em outra ocasião), Nugatti, Nutella, Hapå (produtos à base de chocolate e/ou nozes), geleia (syltetøy) de morango (jordbær), framboesa (bringebær), mirtilo (blåbær) e um tipo de amora diferente da brasileira (tyttebær). Desde que voltei do Brasil eu passei a comer uma iguaria que talvez choque alguns:

Apresento-lhes o makrell i tomat em sua embalagem…
… e após aberto

A embalgem revela o que é: peixe! Trata-se de um parente próximo da cavalinha que se encontra no Brasil, segundo as minhas pesquisas. O peixe é limpo e curtido em molho de tomate. Eu nunca pensei que um dia acabaria comendo peixe no café-da-manhã, mas hoje em dia não vivo sem. Na embalagem está escrito que Uma fatia de pão com o makrell cobre a dose diária recomendada de Ômega 3. Esta substância é recomendada por que, entre outros benefícios, ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim do corpo. Eu como uma fatia de knekkebrød com o makrell por dia no café:

À esquerda na foto vemos o pão com peixe e à direita, knekkebrød com queijo cottage e geleia de framboesa. Geralmente eu como as duas fatias com peixe, mas quando tenho vontade de comer algo mais doce eu vou de geleia. O peixe vem em uma lata, e para guardar a lata na geladeira, encontrei uma tampa de plástico extremamente prática:

Para beber, água ou groselha. Somente quando chego ao trabalho, cerca de 2 horas depois, eu tomo uma merecida xícara de café preto. Ainda não me acostumei ao café amargo, embora saiba que preciso cortar o adoçante.

No próximo episódio, o almoço.