Kategori: novos desafios

Cidadã norueguesa!

Cidadã norueguesa!

Sexta-feira foi o último dia de aula com os alunos. Neste dia não há ensino, os alunos organizam jogos e quizzes, tomam sorvete e às 11.00 recebem o boletim, um abraço das professoras e são dispensados com os votos de um bom verão. 

Enquanto estava com os alunos na classe neste dia, recebi um e-mail. Eu nunca uso o celular na sala de aula, mas neste dia era necessário usar o celular para jogar os quizzes que os alunos prepararam.
O e-mail era da imigração norueguesa, a UDI e nele estava escrito: «Olá. Você recebeu a cidadania norueguesa.» Informei meu marido, a professora que trabalha comigo e meus alunos imediatamente.

Dentro de alguns dias receberei uma carta contendo o procedimento para tirar o passaporte norueguês. Não terei que entregar o passaporte brasileiro, pois a Embaixada brasileira me orientou sobre isso. Na prática, ter a cidadania norueguesa não vai mudar muito a minha vida cotidiana. Hoje pensei no que eu poderei fazer sendo cidadã que eu não podia antes. Por enquanto descobri que vou poder votar nas eleições para o Parlamento além das eleições municipais e posso ser convocada para fazer parte do corpo de jurados em um julgamento. Uma funcionária da escola foi convidada para um jantar com os reis da Noruega em comemoração dos seus 25 anos de reinado na próxima quinta-feira. Estes convites são enviados a cidadãos noruegueses aleatoriamente. Isto significa que no futuro, eu posso ser convidada para uma ocasião parecida também!

Provavelmente em novembro haverá uma cerimônia para os novos cidadãos noruegueses organizada pelo governo estadual daqui (fylkeskommune). Nesta cerimônia haverá algumas apresentações musicais, cantaremos o hino nacional da Noruega (preciso decorar a letra!), teremos que declarar lealdade ao país lendo este texto:

Som norsk statsborger (Como cidadã norueguesa)
lover jeg troskap til mitt land Norge (eu prometo lealdade ao meu país Noruega)
og det norske samfunnet, (e à sociedade norueguesa)
og jeg støtter demokratiet (e eu apoio a democracia)
og menneskerettighetene (e os direitos humanos)
og vil respektere landets lover. (e vou respeitar as leis do país)

Receberemos também um livro e haverá uma recepção com comes e bebes ao final. Vou aguardar meu convite chegar. E vou usar meu bunad com orgulho.

Eu sinto que é o momento perfeito para me tornar cidadã norueguesa. Estou aqui há quase 10 anos com meu esposo norueguês, trabalho e pago meus impostos desde que cheguei aqui, falo o idioma fluentemente, cursei ensino superior aqui durante 6 anos (e pretendo cursar mais um ano), sou proprietária de um imóvel…Tenho família no Brasil e sinto saudades de muitas coisas (outras nem tanto), mas estou plenamente convencida de que é aqui que obtive minhas maiores conquistas (meu tão sonhado lugar ao gelo :)) e tenho minha vida atarefada, mas que me dá muitas alegrias. 

Estou pegando firme nos exercícios e na mudança de hábitos alimentares. Me exercito vigorosamente três vezes por semana. Parei de tomar café diariamente e passei a tomar mais chás e água. Estou preparando saladas verdes quase todos os dias e reduzi drasticamente o consumo de doces e carboidratos simples. Ainda estou longe de ser exemplar, mas estou satisfeita com este começo. 

Amanhã será meu último dia de trabalho deste ano letivo. Teremos somente planejamento. Meu escritório será reformado, então tive que encaixotar todos os pertences que tenho no trabalho. Volto à escola segunda-feira dia 15 de agosto e os alunos retornam às aulas dia 18. Não temos nenhuma viagem planejada. Meu esposo irá trabalhar durante todas as minhas férias. No próximo semestre, ele vai fazer um mestrado MBA em economia, e terá reduzir suas horas de trabalho, o que consequentemente afetará nosso orçamento. Será estranho ficar na Noruega durante todo o verão, já que costumamos viajar nesta época, mas penso que com o MBA ele terá melhores oportunidades de trabalho no futuro. Estamos investindo tempo em algo proveitoso para sua carreira. Eu vou tentar novamente fazer as matérias de religião no próximo semestre, será bom ter um companheiro de estudos aqui em casa.

Como vou estar de férias, pretendo escrever mais, vou fazer o possível.

Gogó de ouro?

Gogó de ouro?

Anteontem, comentei que havia recebido um convite para fazer algo que nunca imaginei que faria na minha vida. Pois então, agora posso contar a história completa.
Semana passada recebi um e-mail de um amigo do meu cunhado que é músico e trabalha em um estúdio que cria trilhas sonoras para comerciais. Ele contou que estava procurando um falante nativo de português brasileiro para narrar um comercial curto de cerca de dois minutos. O comercial é de uma empresa norueguesa, mas que tem como público alvo o Brasil. Ele contou que ficou sabendo sobre mim através de um outro amigo do meu cunhado. Ele me perguntou se eu queria participar de um teste e, caso minha voz fosse escolhida, eu ganharia um cachê (imagina, eu ganhando cachê) para gravar o texto do comercial.
Disse sim na hora, pois a aventura me pareceu bem interessante. Ontem fui ao estúdio e fiz um teste lendo um pequeno texto que achamos na internet. O estúdio ainda não havia recebido o texto original. Tive que fazer a leitura quatro vezes em um pequeno estúdio com direito à fones de ouvido e um microfone como aqueles que têm uma espécie de filtro,  igual cantor gravando disco! Gostei da experiência, o rapaz que me chamou disse que me ligaria caso eu conseguisse o trabalho, e então eu respondi que só o fato de ter feito o teste já havia valido a pena. Disse também que eu nunca pensei que seria convidada para gravar algo em português na Noruega! Bom, agora é esperar pra ver o que acontece.
Tempo maravilhoso por aqui, espero que dure bastante!
Foto tirada do Google (http://www.toddschick)
Música brasileira em uma classe norueguesa

Música brasileira em uma classe norueguesa

Hoje tive um dia de cão no trabalho, fico muito irritada com ditos ‘colegas’ que em vez de cooperar só complicam as coisas… não posso entrar em detalhes, mas desta vez não engoli o sapo, não, fui falar com o diretor! E percebo que isso me deixou menos estressada.

Mas, acontecem coisas engraçadas também. Segunda-feira, na minha aula de espanhol da nona série (corresponde à oitava série no Brasil), meus alunos vieram me pedir para entrar no You Tube e exibir o clipe da música «Ai, se eu te pego» na lousa eletrônica. Pelo que eu entendi, está música está fazendo, ou fez muito sucesso no Brasil. Não é meu tipo de música, mas é tão interessante ver que há alguns anos era difícil uma canção cantada em idioma estrangeiro fazer sucesso em outro país, e agora, um garoto norueguês canta em português com a maior naturalidade. Sinais de que a globalização está dando frutos. Foi engraçado ouvir meus alunos tentando acompanhar o tal do Michel Teló cantando em português. Acho que vou preparar alguma atividade com a música e fazê-los comparar português com espanhol. Uma outra música cantada em português que faz muito sucesso por aqui há anos é «Chorando se foi», do Kaoma (aqueles da lambada).Através do blog da Luciana cheguei ao blog da Dani e lá encontrei um vídeo da banda alemã Baseballs cantando uma cover de Ai, se eu te pego:

…e há um comercial de uma agência de viagens em circulação com uma moça que canta uma música em português com muito sotaque:

Agradeceria muito saber quem está cantando, se alguém souber, mande um comentário!
E falando em nossa língua portuguesa, amanhã vou fazer algo que nunca imaginei que ia acontecer comigo na Noruega!Vou tentar escrever amanhã contando como foi. Engraçada a vida, quando a gente pensa que já experimentou de tudo, surge o convite para algo completamente novo…

O julgamento do terrorista norueguês responsável pelos ataques de 22/07/2011 começou ontem, e quase só se fala nisso na imprensa norueguesa. Ele não demonstra o menor sentimento de arrependimento e hoje disse que, se pudesse, faria tudo de novo. O julgamento se estenderá por no mínimo dez dias mais.   

Estou adorando o livro Comer, Rezar e Amar. Poderia escrever páginas e páginas de citações do livro com as quais eu me identifico. Estou quase na metade.

Nada é por acaso

Nada é por acaso

Quando eu tinha 12 anos, falei para minha mãe que queria desistir do balé para entrar em uma escola de inglês. A sapatilha de ponta e eu não estávamos nos dando bem e a professora, que até podia entender de balé, mas não entendia nada de pedagogia infantil, me desmotivou. Minha mãe me entendeu e me matriculou no CNA. Na escola de inglês, pelo contrário, eu encontrei a minha praia. Aprendia tudo tão rápido que, dois anos depois eu estava no último estágio, aos catorze anos junto com adultos. Depois disso o inglês passou a fazer parte da minha vida. Escrevi muitas cartas em inglês aos meus amigos por correspondência, todos fãs do A-ha (que saudade daquela época!) e lia os fanzines do fã-clube alemão em inglês. Aos 19 anos arrumei emprego de professora de inglês em uma escola de idiomas e esta tem basicamente sido minha profissão desde então. Cinco anos depois comecei a dar aulas particulares ao mesmo tempo em que trabalhava na escola e logo em seguida pedi demissão da escola para me dedicar somente aos alunos particulares. Com meu salário me mantive bem e sustentei ex-marido (essa parte eu prefiro pular) e alguns sombrios meses depois do divórcio comecei a usar a internet para conhecer pessoas (na época eu não admitia, mas hoje percebo que no fundo eu queria conhecer alguém especial). Nada de sites de relacionamento, eu entrava em salas de bate papo do pré-histórico mIRC para falar com pessoas de todo o mundo – em inglês, claro. Um belo dia em 2004, conheci um norueguês que logo na primeira conversa me mandou uma foto com um bacalhau de 15 quilos que ele havia pescado. Aí se iniciou a história que é o motivo pelo qual eu vim parar na Noruega. Ou seja, o inglês faz parte da minha vida e devo muito ao fato de eu ter aprendido inglês.
Depois de semanas de trabalho e estudos (recebi o resultado de duas provas e passei!), chegou o tão esperado dia. Amanhã vou finalmente conhecer o país de origem desse idioma que significa tanto para mim. Já estive nos EUA, mas Inglaterra é mais especial, pois desde quando estava no CNA sonhava em estudar lá. Lembro da minha mãe dizendo que, se ela pudesse, me mandaria para a Inglaterra por uns meses para estudar. Uma pena mamãe não estar mais aqui para ver que eu estou finalmente indo para lá, mesmo não sendo para estudar. Vou aprender muita coisa, mas sem ter estar em um banco de escola. Planejamos cada detalhe da viagem e tenho certeza de que vai ser inesquecível – e ainda por cima vamos dirigir na mão inglesa! Que medo!

Composed upon Westminster Bridge, September 3, 1802

Earth has not anything to show more fair:
Dull would he be of soul who could pass by
A sight so touching in its majesty:
This City now doth like a garment wear

The beauty of the morning: silent, bare,
Ships, towers, domes, theatres, and temples lie
Open unto the fields, and to the sky,
All bright and glittering in the smokeless air.

Never did sun more beautifully steep
In his first splendour valley, rock, or hill;
Ne’er saw I, never felt, a calm so deep!

The river glideth at his own sweet will:
Dear God! the very houses seem asleep;
And all that mighty heart is lying still!

William Wordsworth
Adeus, fadiga de inverno!

Adeus, fadiga de inverno!

Continuava sem saber como enfrentar o dia-a-dia sem padecer da tal fadiga de inverno. Recebi algumas dicas para aumentar a dose de vitamina D, mas o que acabou resolvendo o meu problema foi um rádio relógio. Explico. Sábado fomos dar uma olhada nas liquidações pós-Natal e encontramos um rádio relógio que, conectado a um abajur, funciona como «wake up light» (espécie de luz que acende gradativamente, enganando o cérebro e fazendo-o pensar que já é dia e por conseguinte ajudando a diminuir a fadiga de inverno). Estava em oferta, então compramos um para experimentar. Eu tenho um abajur de leitura bem acima da cabeceira da cama, então meu marido conectou o rádio relógio a esse abajur. Ah, tivemos que trocar a lâmpada, que era daquelas econômicas por uma normal, por que com essas lâmpadas econômicas não se pode programar a função de acender gradativamente (dimmer). Por exemplo, se eu acertar o alarme para as 5hs30min, a luz acende 20 minutos antes, bem fraquinha, e vai ficando mais intensa a cada dois minutos. Às 5hs30min, quando o alarme toca, a luz está bem forte, e aí o cérebro já foi ‘enganado’, fazendo o organismo pensar que é dia. Hoje meu dia está rendendo muito. Dei aula das 8hs30min às 14hs30min, fiquei trabalhando até às 16hs45min e ainda vou trabalhar mais um pouco. Não posso confirmar com 100% de certeza que foi o rádio relógio, mas vou testando-o e vendo se melhoro. Podemos escolher barulhinho de rio, floresta, passarinhos para acordar, além dos tradicionais rádio e buzzer (piii-piii-piii…).
Outra notícia boa é que aumentaram minhas horas de trabalho um pouco mais. Recebi uma proposta de dar aula de religião, ética e perspectivas de vida (RLE=religion, livssyn og etikk) para uma classe de oitava série. Comecei hoje e gostei. Nunca dei aula dessa matéria antes, mas parece um pouco com ciências sociais, que estudei por um ano na faculdade aqui. Com o aumento de horas de trabalho esse rádio relógio veio em boa hora.